Mundo

Suspeito de ataque a tiros em Kansas City foi imobilizado por torcedores; veja vídeo

Três pessoas foram presas pela polícia; autoridades aguardavam público de cerca de um milhão de pessoas para celebração de título do Super Bowl

Ao menos uma pessoa morreu e 21 ficaram feridas, incluindo crianças (Redes Sociais/Reprodução)

Ao menos uma pessoa morreu e 21 ficaram feridas, incluindo crianças (Redes Sociais/Reprodução)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 15 de fevereiro de 2024 às 07h13.

Vídeos que circulam pelas redes sociais mostram o momento em que torcedores do Kansas City Chiefs imobilizaram um homem suspeito de abrir fogo contra a multidão que celebrava o título do Super Bowl, nesta quarta-feira. Outros dois suspeitos foram detidos pela polícia.

Ao menos uma pessoa morreu e 21 ficaram feridas, incluindo crianças, durante o ataque a tiros, na cidade do estado americano do Missouri, informou o Departamento de Bombeiros. Das três pessoas presas, duas estavam armadas. Os investigadores apuram a motivação do tiroteio.

Veja:

Outro vídeo, registrado pela torcedora Alyssa Marsh-Contreras, mostra o momento em que policiais se juntaram a torcedores para deter o suspeito.

Dentre os 21 feridos, oito estavam em estado crítico, sete em estado grave e seis feridos sem gravidade, afirmou Ross Grundyson, chefe do Corpo de Bombeiros, nesta quarta — um hospital pediátrico recebeu 11 menores de idade, sendo nove por ferimentos de bala. A idade deles ainda não foi divulgada. Além disso, outras pessoas procuraram atendimento médico por ferimentos, mas não está claro se são vítimas de tiros.

"Pedimos às pessoas que saiam da área o mais rápido e seguro possível e evitem o estacionamento para facilitar o tratamento das vítimas dos disparos", disse a polícia.

Laura Kelly, governadora do Kansas, estava no desfile e teve que fugir às pressas da área. Ela agora está "fora de perigo", disse em uma postagem nas redes sociais.

Las Vegas: Ataque a tiros em universidade deixa três mortos nos EUA

O prefeito da cidade, Quinton Lucas, que compareceu ao desfile com a mãe e esposa, disse estar "tão inconsolável quanto qualquer um".

— É absolutamente uma tragédia, do tipo que nunca teríamos esperado em Kansas City, e do tipo que nos lembraremos por algum tempo — disse Lucas em coletiva de imprensa. — Não quero que em nosso país, para cada grande evento, tenhamos que pensar na preocupação de levar um tiro.

O presidente Joe Biden já foi informado sobre o ataque, de acordo com a Casa Branca.

Sandy Hook, Columbine e Santa Fé: Relembre ataques a tiros em escolas dos EUA

Centenas de milhares de pessoas celebravam os Chiefs, que venceram no último domingo o Super Bowl, a final do campeonato nacional de futebol americano. Vários jogadores desceram dos ônibus para cumprimentar e tirar fotos com torcedores, muitos dos quais haviam chegado ao local antes do amanhecer.

O tradicional desfile da vitória percorria um trajeto de 3 quilômetros até a estação ferroviária Union Station, onde ocorreram os disparos. Torcedores fugiram às pressas do local, enquanto a polícia trabalhava para esvaziar a estação.

— Pensei que fossem fogos de artifício. Ouvi entre 15 e 20 disparos em um intervalo muito curto —descreveu John O'Connor ao jornal The Kansas City Star.

"Rezo pela cidade", publicou em redes sociais o jogador Patrick Mahomes, do Kansas City Chiefs. Em comunicado, a equipe disse estar "profundamente entristecida por causa do ato de violência sem sentido" ocorrido durante o evento, afirma estar em contato com as autoridades locais e declara que todos os jogadores, membros da comissão técnica e seus parentes estão a salvo.

Segundo a rede americana ABC, esperava-se cerca de 1 milhão de participantes no desfile, além de 600 agentes de segurança.

O ataque a tiros em Kansas City foi o 48º nos EUA neste ano, conforme o Gun Violence Archive. No Missouri, houve pelo menos 154 ataques a tiros desde 2013, excluindo o desta quarta-feira, segundo análise da CNN.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Futebol americanoMortes

Mais de Mundo

Eleições no Reino Unido: trabalhistas tiveram vitória esmagadora, aponta boca-de-urna

Governo conservador português quer restaurar alguns benefícios fiscais para estrangeiros

Congresso do Peru aprova lei que prescreve crimes contra a Humanidade cometidos antes de 2022

Mbappé pede votos contra extrema direita: "Não podemos deixar o país nas mãos dessa gente"

Mais na Exame