Mundo

Senado dos EUA aprova pacote de ajuda de US$ 95 bi para Ucrânia, Israel e Taiwan

O pacote de ajuda poderá ser o último aprovado para a Ucrânia até depois das eleições de novembro

Senado dos EUA também aprovou novas sanções contra autoridades iranianas e russas (Andrew Harnik/Getty Images)

Senado dos EUA também aprovou novas sanções contra autoridades iranianas e russas (Andrew Harnik/Getty Images)

Publicado em 24 de abril de 2024 às 07h52.

O Senado dos EUA aprovou na noite desta terça-feira (23) um amplo pacote de ajuda militar externa de US$ 95,3 bilhões para Ucrânia, Israel, Taiwan e parceiros no Indo-Pacífico. A medida, que teve 79 votos a favor e 18 contrários, prevê US$ 60,8 bilhões para a Ucrânia, US$ 26,4 bilhões para Israel e ajuda humanitária para civis em zonas de conflito, como Gaza, e US$ 8,1 bilhões para aliados no Indo-Pacífico, incluindo Taiwan, gesto que pode aumentar as tensões com a China.

Dentro do pacote também foram aprovadas novas rodadas de sanções contra autoridades iranianas e russas. Em contrapartida, a Câmara, com maioria republicana, acrescentou disposições para orientar o presidente a buscar o reembolso do governo ucraniano de US$ 10 bilhões em assistência econômica. Esse foi um aceno a um pedido do ex-presidente Donald Trump para que qualquer outra ajuda a Kiev fosse classificada como um empréstimo. O projeto, porém, permite que o presidente perdoe esses empréstimos a partir de 2026.

Washington já está preparando a primeira fase desse novo pacote para a Ucrânia. Seria de US$ 1 bilhão.“Este é um ponto de inflexão na história. A democracia ocidental talvez tenha enfrentado a sua maior ameaça desde o fim da Guerra Fria”, disse o líder da maioria democrata, Chuck Schumer, no Senado.

O pacote de ajuda poderá ser o último aprovado para a Ucrânia até depois das eleições de novembro, quando a Casa Branca, a Câmara dos Deputados e um terço do Senado estarão em disputa.

O líder republicano do Senado, Mitch McConnell, um forte defensor da ajuda à Ucrânia, lamentou o atraso na aprovação da ajuda, em grande parte devido às objeções dos republicanos linha-dura em adicionar mais verbas aos US$ 113 bilhões que os EUA aprovaram para enviar ao país europeu desde o início da guerra. “Acho que superamos o movimento isolacionista”, avaliou McConnell em entrevista coletiva.

TikTok correndo risco nos EUA

Um quarto projeto incluído no pacote aprovado pelo Senado, e que deve ir à sanção do presidente Biden ainda nesta quarta, trata das operações do TikTok nos EUA. A medida forçaria a ByteDance, empresa-mãe do TikTok na China, a vender a plataforma de mídia social sob a ameaça de deixar de operar no país. A legislação revisada estende o prazo, dando à ByteDance nove meses para vender o TikTok e uma possível extensão de três meses se uma venda estiver em andamento

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)UcrâniaIsraelTaiwan

Mais de Mundo

Turbulência em voo entre Londres e Singapura mata uma pessoa

Quer morar nos EUA? Saiba quanto você precisa ganhar para ser considerado 'classe média'

Morte de presidente do Irã não deve gerar revolução, mas disputa silenciosa, diz especialista

EUA: Yellen pedirá a aliados europeus para atuar de modo conjunto nas sanções contra a Rússia

Mais na Exame