Senado aprova acordo que aumenta participação brasileira no FMI

Economias emergentes têm pressionado e conquistado mais espaço no organismo internacional ao longo dos últimos anos

Brasília - O Senado aprovou nesta terça-feira acordo que aumenta a cota de participação do Brasil no Fundo Monetário Internacional (FMI).

O aumento da participação brasileira já havia sido aprovada pelo Fundo em dezembro de 2010, mas é necessário que a mudança seja incorporada pela lei brasileira.

No início de dezembro, a Câmara dos Deputados aprovou o acordo.

Pelo texto aprovado nesta terça no Senado, o Brasil passa da 14a para a 10a posição no ranking do FMI, e passa a deter 2,316 por cento das cotas totais do fundo.

As economias emergentes têm pressionado e conquistado mais espaço no FMI ao longo dos últimos anos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também