Rússia e EUA podem trocar estrela do basquete presa por "Mercador da Morte" russo

Os presidentes Joe Biden e Vladimir Putin ordenaram negociações de troca de prisioneiros, um tópico que surgiu regularmente desde a cúpula de junho de 2021 em Genebra
EUA e Rússia: várias trocas de prisioneiros ocorreram no passado (AFP/AFP)
EUA e Rússia: várias trocas de prisioneiros ocorreram no passado (AFP/AFP)
A
AFP

Publicado em 28/07/2022 às 10:58.

Última atualização em 28/07/2022 às 11:38.

A Rússia confirmou nesta quinta-feira, 28, que mantém negociações com os Estados Unidos para uma troca de prisioneiros, mas garantiu que ainda não houve acordo, depois que Washington anunciou ter apresentado uma oferta "consistente" a Moscou.

As negociações "são realizadas pelas autoridades competentes. Ainda não se chegou a um resultado concreto", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, em comunicado.

"Como não há acordo finalizado, não temos nada a acrescentar" sobre o assunto, afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, em coletiva de imprensa.

De acordo com Zakharova, os presidentes Joe Biden e Vladimir Putin ordenaram negociações de troca de prisioneiros, um tópico que surgiu regularmente desde a cúpula de junho de 2021 em Genebra.

O chefe da diplomacia dos EUA, Antony Blinken, anunciou na quarta-feira que falará "nos próximos dias" com seu homólogo russo, Serguei Lavrov.

De acordo com vários meios de comunicação dos EUA, seria sobre a troca de Viktor Bout por Brittney Griner, uma jogadora de basquete que atualmente está sendo julgada após ser presa em fevereiro por posse de maconha ao chegar a Moscou, e Paul Whelan, que está cumprindo uma pena de 16 anos de prisão na Rússia por espionagem.

Viktor Bout, conhecido traficante de armas russo, foi preso na Tailândia em 2008 e cumpre pena de 25 anos de prisão nos Estados Unidos.

Apelidado de "Mercador da Morte", sua extraordinária carreira inspirou o filme O Senhor das armas, estrelado por Nicolas Cage como um cínico traficante de armas.

"Falamos [na terça-feira] por telefone e Viktor [Bout] não sabia nada sobre as negociações entre a Rússia e os Estados Unidos", disse a esposa do condenado, Alla Bout, citada pela agência Ria Novosti. O lado de Griner também não tem conhecimento de uma negociação em potencial.

"Os advogados não participam das negociações. Do ponto de vista jurídico, a troca só pode ocorrer após o veredicto. De qualquer forma, ficaremos felizes se Brittney [Griner] puder ir para casa logo", comentou a advogada Maria Blagovolina, no Telegram.

A jogadora de 31 anos da WNBA, que enfrenta uma sentença de dez anos de prisão, comparecerá ao tribunal novamente em 2 de agosto. Na quarta-feira, Griner disse que não tinha intenção de levar drogas, especificamente cannabis, para a Rússia.

Várias trocas de prisioneiros ocorreram no passado. Em abril, o ex-fuzileiro naval americano Trevor Reed, condenado a nove anos de prisão na Rússia por violência que ele mesmo nega, foi trocado por um piloto russo, Konstantin Yaroshenko, preso nos Estados Unidos desde 2010 por tráfico de drogas com as Farc colombianas.

LEIA TAMBÉM: 

Rússia reduz abastecimento de gás natural à UE a 20% da capacidade

 Preço do gás na Europa dispara após redução dos fluxos da Rússia