Rússia "consultará" população para definir fronteiras de regiões anexadas

Putin formalizou a anexação de Kherson e Zaporizhzhia, assim como de outras duas regiões da Ucrânia, Donetsk e Lugansk, na última sexta-feira
Putin: Rússia "consultará" população para definir fronteiras de regiões anexadas (Andrey Rudakov/Bloomberg/Getty Images)
Putin: Rússia "consultará" população para definir fronteiras de regiões anexadas (Andrey Rudakov/Bloomberg/Getty Images)
A
AFPPublicado em 03/10/2022 às 09:15.

A Rússia "consultará" a população para estabelecer as fronteiras das regiões anexadas de Kherson e Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia, afirmou nesta segunda-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

"Seguiremos consultando a população destas regiões", respondeu Peskov ao ser questionado se a Rússia estava anexando a totalidade ou apenas partes do território que ocupa nestas regiões.

 Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo toda manhã no seu e-mail. Cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

O presidente russo Vladimir Putin formalizou a anexação de Kherson e Zaporizhzhia, assim como de outras duas regiões da Ucrânia, Donetsk e Lugansk, em uma cerimônia na sexta-feira no Kremlin.

As regiões de Donetsk e Lugansk foram anexadas em sua totalidade, depois que Moscou reconheceu a soberania dos regimes separatistas pró-Rússia no fim de fevereiro, pouco antes do início da ofensiva na Ucrânia.

Mas o Kremlin afirmou na semana passada que as fronteiras das regiões de Kherson e Zaporizhzhia precisavam ser "esclarecidas".

O ISW (Institute for the Study of War), centro de pesquisas com sede nos Estados Unidos, afirma que a Rússia controla 72% da região de Zaporizhzhia.

Além disso, quase 88% de Kherson e sua capital de mesmo nome estão sob ocupação russa.

LEIA TAMBÉM: Rússia ataca cidade do Zelensky com drones suicidas e Ucrânia retoma Lyman

A Rússia organizou às pressas os referendos nas quatro regiões ucranianas, votações criticadas como "farsas" pela Ucrânia e seus aliados ocidentais.

Também nesta segunda-feira, as autoridades russas anunciaram que o funcionário responsável pelo recrutamento militar na região de Khabarovsk, Yuri Laiko, foi suspenso de suas funções após a convocação por engano milhares de pessoas para lutar na Ucrânia.

"Isto não terá nenhum impacto na meta estabelecida pelo presidente", disse o governador Mikhail Degtyaryov no Telegram. Khabarovsk fica no extremo leste da Rússia.

"Em 10 dias, vários compatriotas receberam intimações e compareceram aos postos militares. Fizemos que metade deles retornassem para casa porque não preenchiam os critérios de seleção para entrar no exército”, disse o governador.

LEIA TAMBÉM: Ucrânia anuncia libertação de cidade estratégica em região anexada pela Rússia