Rússia bombardeia estação ferroviária usada por refugiados na Ucrânia

Dois poderosos foguetes atingiram a estação na cidade de Kramatorsk. Presidente da Ucrânia, Volodymr Zelenskiy, diz que o ataque foi deliberado contra civis
Ucrânia: Zelenskiy disse ter sido um ataque deliberado contra civis; Rússia nega (FADEL SENNA/AFP)
Ucrânia: Zelenskiy disse ter sido um ataque deliberado contra civis; Rússia nega (FADEL SENNA/AFP)
R
ReutersPublicado em 08/04/2022 às 08:51.

Ao menos 39 pessoas morreram e 87 ficaram feridas em um ataque de foguete russo a uma estação ferroviária lotada de mulheres, crianças e idosos em fuga do leste da Ucrânia na manhã desta sexta-feira, disseram autoridades ucranianas.

Dois poderosos foguetes atingiram a estação na cidade de Kramatorsk, no que o presidente ucraniano, Volodymr Zelenskiy, disse ter sido um ataque deliberado contra civis.

"Sem força e coragem para nos enfrentar no campo de batalha, eles estão cinicamente destruindo a população civil", afirmou Zelenskiy em comunicado.

"Este é um mal que não tem limites. E se não for punido, nunca vai parar."

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Zelenskiy disse mais tarde em um discurso em vídeo ao Parlamento da Finlândia que nenhuma tropa ucraniana estava na estação no momento do ataque.

O Ministério da Defesa russo disse, segundo a agência de notícias RIA, que os mísseis que teriam atingido a estação eram usados ​​apenas por militares da Ucrânia e que as Forças Armadas da Rússia não tinham alvos designados em Kramatorsk nesta sexta-feira.

O chefe da empresa ferroviária ucraniana afirmou que pelo menos duas crianças estão entre os mortos. O prefeito de Kramatorsk, Oleksander Honcharenko, disse que cerca de 4.000 pessoas estavam na estação no momento do ataque.

Pavlo Kyrylenko, governador da região de Donetsk, publicou uma fotografia online mostrando vários corpos no chão ao lado de pilhas de malas e outras bagagens. Policiais armados vestindo coletes à prova de balas estavam ao lado deles.

Outra foto mostrava serviços de resgate combatendo o que parecia ser um incêndio, com uma nuvem de fumaça cinza subindo no ar.

"Os 'rashists' ('fascistas russos') sabiam muito bem para onde estavam mirando e o que queriam: queriam semear pânico e medo, queriam levar o maior número possível de civis", escreveu o governador em um post online.

A Reuters não pôde verificar imediatamente as fotos.

"Eles (as forças russas) queriam atingir a estação", disse o prefeito Honcharenko, opinião compartilhada pelo assessor presidencial Oleksiy Arestovych.

Três trens que transportam pessoas em fuga foram bloqueados na mesma região da Ucrânia na quinta-feira após um ataque aéreo à linha ferroviária, de acordo com o chefe de ferrovias ucraniana.

Autoridades ucranianas dizem que as forças russas estão se reagrupando para uma nova ofensiva e que Moscou planeja tomar o máximo de território possível na parte leste da Ucrânia, conhecida como Donbass, na fronteira com a Rússia.

Autoridades locais em algumas áreas têm pedido aos civis que saiam enquanto ainda é possível e relativamente seguro fazê-lo.