Mundo

Rússia apoia acusações contra EUA por suposta sabotagem do gasoduto Nord Stream

Jornalista americano afirma, com base em fonte anônima, que mergulhadores da Marinha dos Estados Unidos plantaram explosivos nos gasodutos que ligam a Rússia à Alemanha

Gasoduto Nord Stream: Noruega também negou qualquer envolvimento (Stefan Sauer/picture alliance via Getty Images/Getty Images)

Gasoduto Nord Stream: Noruega também negou qualquer envolvimento (Stefan Sauer/picture alliance via Getty Images/Getty Images)

A

AFP

Publicado em 9 de fevereiro de 2023 às 12h20.

A Rússia apoiou nesta quinta-feira, 9, um artigo publicado pelo jornalista investigativo americano Seymour Hersh que acusa os Estados Unidos de estarem por trás da sabotagem dos gasodutos Nord Stream 1 e 2 em setembro.

Em um artigo publicado em seu próprio blog, o jornalista americano Seymour Hersh afirma, com base em uma única fonte anônima, que em junho mergulhadores da Marinha dos Estados Unidos, com a ajuda da Noruega, plantaram explosivos nestes gasodutos que ligam a Rússia à Alemanha até o outro lado do mar Báltico e que três meses depois os explodiu.

Os Estados Unidos rejeitaram categoricamente o artigo, chamando a informação de "pura ficção". A Noruega também negou qualquer envolvimento.

"Algumas coisas [nesta publicação] são discutíveis, outras precisam ser provadas, mas o artigo é notável por sua análise aprofundada e apresentação harmoniosa" dos fatos, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, à imprensa.

Segundo Peskov, o artigo de Hersh mostra "mais uma vez a necessidade de uma investigação internacional transparente sobre esse ataque sem precedentes".

As investigações das autoridades suecas, dinamarquesas e alemãs ainda não permitiram determinar quem são os responsáveis.

Em seu artigo, Hersh afirma que o próprio presidente dos EUA, Joe Biden, decidiu explodir os gasodutos para privar Moscou da enorme receita de suas vendas de gás para a Europa.

Hersh, de 85 anos, é um dos repórteres investigativos mais famosos dos Estados Unidos. Ele revelou o massacre cometido pelos militares dos EUA na aldeia de My Lai durante a Guerra do Vietnã.

Mas outros jornalistas o acusam de propagar teorias da conspiração.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)GuerrasRússia

Mais de Mundo

Fãs de Trump se reúnem em Milwaukee para lhe dar apoio: "precisa saber que é amado"

Biden pede que país 'reduza a temperatura política' e que evite o caminho da violência

Nikki Haley é convidada de última hora como oradora para convenção republicana

FBI crê que atirador que tentou matar Trump agiu sozinho e não pertence a grupo terrorista

Mais na Exame