Mundo

Rishi Sunak tenta relativizar pesquisas que o mostram em terceiro lugar nas eleições britânicas

Primeiro-ministro conservador aparece atrás dos trabalhistas e da extrema direita

Rishi Sunak, premiê do Reino Unido (AFP)

Rishi Sunak, premiê do Reino Unido (AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 14 de junho de 2024 às 13h54.

Tudo sobreReino Unido
Saiba mais

O primeiro-ministro conservador britânico, Rishi Sunak, tentou relativizar nesta sexta-feira, 14, as pesquisas mais recentes que mostram que ele está na terceira posição nas intenções de voto para as eleições de 4 de julho, atrás dos trabalhistas e da extrema direita.

"Estamos em campanha. Luto por cada voto", declarou Sunak à imprensa na Itália, onde participa na reunião de cúpula do G7, que reúne as sete democracias mais ricas do mundo.

Sunak, em posição complicada nas pesquisas desde o início da campanha, recebeu a notícia na quinta-feira de que o partido de extrema direita 'Reform UK', liderado pelo eurofóbico Nigel Farage, o ultrapassou em uma pesquisa de intenções de voto pela primeira vez.

Uma pesquisa do instituto YouGov publicada pelo jornal The Times, baseada em entrevistas com 2.211 pessoas, mostra o Partido Trabalhista, liderado por Keir Starmer, com 37% das intenções de voto, enquanto o Reform UK aparece em segundo, com 19%, e o Partido Conservador aparece com 18%.

"Cheque em branco aos trabalhistas"

O líder conservador tentou expressar tranquilidade após a divulgação da pesquisa, que demonstra as dificuldades do Partido Conservador, que está no poder há 14 anos.

"A única votação que conta é a de 4 de julho", afirmou Sunak, antes de acrescentar que os votos no Reform UK equivaleriam a "dar um cheque em branco aos trabalhistas".

Por sua vez, diante dessa pesquisa promissora para seu partido, Farage, de 60 anos, se apresentou nesta sexta-feira como o "líder da oposição".

"Nós somos os verdadeiros rivais do Partido Trabalhista, agora somos a verdadeira oposição", declarou Farage, em um discurso em Londres.

Visivelmente emocionado, esse ardente defensor do Brexit pediu um debate com o líder trabalhista Keir Starmer, que vê na imigração um assunto crucial com vistas às próximas eleições;

Para o ex-deputado, que não conseguiu ser eleito sete vezes para o Parlamento britânico, os males do país, como a crise de moradia ou as dificuldades de acesso aos serviços de saúde, decorrem das políticas de imigração "iniciadas pelos trabalhistas e continuadas por este governo conservador".

Apesar da euforia de Farage, outras cinco pesquisas publicadas nas últimas 24 horas colocam o Reform UK atrás dos conservadores.

No início da semana, as pesquisas colocavam o Partido Trabalhista como claro vencedor, com 45% das intenções de voto, seguido dos conservadores com 20% e do Reform UK com 15%.

"Mudança sísmica"

Mas a pesquisa de quinta-feira colocou em dúvida a posição de segundo lugar dos conservadores.

O YouGov observou, com base nas margens de erro das pesquisas, que levará algum tempo para confirmar se o Reform UK pode "manter ou melhorar sua posição em relação aos conservadores".

No entanto, o instituto acrescentou que o fato de o partido de Farage estar lutando "cabeça a cabeça" com o partido do governo representa "uma mudança sísmica no cenário eleitoral".

Rishi Sunak assumiu o cargo em outubro de 2022, em meio a uma crise para o governo conservador, que teve quatro primeiros-ministros desde a saída de David Cameron em julho de 2016.

Ao revelar seu programa na terça-feira, Sunak prometeu diminuir os impostos e reduzir a imigração.

Starmer, 61 anos, por sua vez, priorizou o crescimento econômico do Reino Unido quando apresentou seu programa na quinta-feira.

Acompanhe tudo sobre:Rishi SunakReino Unido

Mais de Mundo

Ataque a Trump: "Ainda é cedo para dizer se atirador agiu sozinho", dizem autoridades

Trump se pronuncia após ser atingido na cabeça em comício na Pensilvânia

Biden se pronuncia sobre tiroteio no comício de Trump: "Estou grato em saber que ele está bem"

'Atentado contra Trump deve ser repudiado', diz Lula sobre tiros durante comício

Mais na Exame