Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Riad, Doha e Ancara apoiam esforços por trégua em Aleppo

Sauditas, catarianos e turcos "expressaram sua intenção de trabalhar duro com os grupos da oposição moderada para que tomem claramente distância da Al-Nosra"

Modo escuro


	Aleppo: Moscou e Damasco anunciaram nesta segunda uma pausa humanitária

Aleppo: Moscou e Damasco anunciaram nesta segunda uma pausa humanitária

D
Da Redação

Publicado em 18 de outubro de 2016 às, 10h24.

Arábia Saudita, Catar e Turquia aceitaram participar das negociações com americanos e russos para tentar separar os rebeldes moderados dos extremistas ativos em Aleppo, no norte da Síria, com o propósito de facilitar uma trégua, informou nesta segunda-feira o embaixador russo na ONU, Vitali Churkin.

Sauditas, catarianos e turcos "expressaram sua intenção de trabalhar duro com os grupos da oposição moderada para que tomem claramente distância da (Frente) Al-Nosra", o braço sírio da Al-Qaeda.

Os combatentes da Al-Nosra presentes na zona leste de Aleppo, bombardeada sem descanso por aviões russos e sírios, devem abandonar a cidade ou "ser derrotados", afirmou Churkin.

O diplomata russo, que citou informações do representante da ONU na Síria, Staffan de Mistura, destacou que a relação de forças entre os combatentes moderados (10 mil) e os da Al-Nosra (900) é de "dez para um" no leste de Aleppo.

Se a Al-Nosra se retirar de Aleppo, então o "acordo concluído em Lausanne permitirá que a oposição moderada negocie uma trégua com o governo sírio".

De Mistura propôs recentemente aos combatentes jihadistas da Frente Al-Nosra, rebatizada de Fateh al-Cham, que abandonem Aleppo, e ao regime sírio e à Rússia que suspendam os bombardeios contra a cidade.

Moscou e Damasco anunciaram nesta segunda que "uma pausa humanitária será aplicada em 20 de outubro em Aleppo das 08h00 às 16h00" locais.

"As forças russas e sírias suspenderão durante este período seus bombardeios e todos os outros disparos", disse o general Serguei Rudskoi, do Estado-Maior russo.

Moscou e Damasco tomaram esta decisão "sobretudo para permitir aos civis deixar (a cidade) em total liberdade, para evacuar os doentes e feridos e garantir a retirada dos rebeldes armados".

Dezenas de civis morreram nesta segunda-feira em bombardeios do regime sírio e das aviação russa contra os bairros do leste de Aleppo.

Antiga capital econômica do país, Aleppo é agora uma cidade devastada pelos intensos bombardeios e ataques das forças do governo de Bashar al-Assad, que avançam sobre a parte leste.

Últimas Notícias

ver mais
A espera em vão pela abertura da fronteira entre China e Coreia do Norte
Mundo

A espera em vão pela abertura da fronteira entre China e Coreia do Norte

Há 3 horas
Número de mortos em explosão de depósito em Nagorno-Karabakh sobe para 170
Mundo

Número de mortos em explosão de depósito em Nagorno-Karabakh sobe para 170

Há 4 horas
Putin pede a ex-auxiliar de Prigozhin para coordenar formação de voluntários
Mundo

Putin pede a ex-auxiliar de Prigozhin para coordenar formação de voluntários

Há 4 horas
Cuba prevê nova crise de combustível na primeira metade de outubro
Mundo

Cuba prevê nova crise de combustível na primeira metade de outubro

Há 18 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais