Reservas em voos do Japão à China são canceladas por crise

Mais de 52 mil reservas das duas principais companhias aéreas do Japão (ANA e JAL) foram canceladas

Tóquio – Mais de 52 mil reservas em voos à China das duas principais companhias aéreas do Japão – All Nippon Airways (ANA) e Japan Airlines (JAL) – foram canceladas em meio à tensão entre ambos os países por sua disputa territorial por um arquipélago, informou nesta terça-feira a agência “Kyodo”.

Até sexta-feira passada, a ANA havia cancelado cerca de 37 mil reservas feitas por grupos de passageiros, enquanto a JAL tinha registrado 15.500 anulações até ontem, segundo fontes das companhias aéreas citadas pela “Kyodo”.

Diante dessa situação, as duas companhias decidiram reduzir seu número de voos e utilizar aviões menores nas rotas entre Japão e China em outubro.

Junto com essa medida, “sugeriremos outros destinos, especialmente para os passageiros que viajam em grupos, a fim de minimizar o impacto em nossos lucros e custos”, anunciou hoje o presidente de JAL, Yoshiharu Ueki.

As relações entre Japão e China passam por sua maior turbulência em anos devido ao conflito territorial por um pequeno arquipélago situado no Mar da China Oriental, conhecido como Senkaku por Tóquio e Diaoyu por Pequim.

Há duas semanas, o governo japonês adquiriu o terreno de três dessas ilhas, o que gerou protestos na China e em Taiwan, que também as reivindicam.

Em várias cidades chinesas houve grandes manifestações antinipônicas que, em alguns casos, incluíram atos de violência contra alvos japoneses, o que levou algumas empresas de origem japonesa a paralisar temporariamente suas atividades.

Além disso, foram suspensas inúmeras viagens de negócios e atividades bilaterais, incluindo a cerimônia que a China tinha previsto realizar amanhã para comemorar os 40 anos da normalização de relações diplomáticas com o Japão. 

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.