Reino Unido tira viajantes brasileiros da quarentena obrigatória

Primeiro-ministro britânico Boris Johnson reduzirá "lista vermelha" de 54 países para apenas nove
 (Henry Nicholls/Reuters)
(Henry Nicholls/Reuters)
R
Reuters

Publicado em 03/10/2021 às 13:27.

Última atualização em 03/10/2021 às 13:34.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson vai flexibilizar para mais países as viagens com destino ao Reino Unido, tirando a necessidade de fazer quarentenas, e anunciará a medida ainda nesta semana, informou o The Sunday Telegraph, acrescentando que a "lista vermelha" será reduzida de 54 países para nove.

Viajantes totalmente vacinados do Brasil e de outros países incluindo África do Sul, México e Indonésia não terão mais que ficar em quarentena em hotéis designados pelo governo por 10 dias quando chegarem à Inglaterra a partir do fim de outubro, disse o jornal.

As mudanças devem ser anunciadas na quinta-feira e provavelmente resultarão em uma onda de reservas nos hotéis, ajudando as companhias aéreas e de viagens que ficaram seriamente comprometidas durante a pandemia.

A política de quarentena de hotéis para países de alto risco custa 2.285 libras (ou 3.095 dólares) por adulto.

A Grã-Bretanha já planejava relaxar suas regras de viagem a partir de 4 de outubro, descartando a lista para destinos de risco médio e não mais exigindo que os passageiros totalmente vacinados façam teste de Covid-19 antes de chegar ao país vindos de lugares que não estão na lista vermelha.

O governo informou que, a partir do fim de outubro, quem chegar à Inglaterra não precisará mais fazer o teste de PCR dois dias após a chegada e poderá optar por outro teste mais barato.

  • Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME