Regime sírio bombardeia Homs

Na cidade, os médicos são obrigados a amputar os feridos ante a falta de recursos para prestar o atendimento apropriado

Beirute - O Exército sírio prosseguia nesta segunda-feira com o bombardeio contra os bairros rebeldes da cidade de Homs (centro), onde os médicos são obrigados a amputar os feridos ante a falta de recursos para prestar o atendimento apropriado, informaram ativistas da oposição.

O bombardeio tinha como alvos particulares os bairros de Khaldiyeh e de Jurat al-Chayah, que as tropas do regime de Bashar al-Assad tentam recuperar, segundo os militantes e o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"Muitos bairros de Homs continuam cercados e é muito difícil levar alimentos e remédios", afirmou à AFP Khaled al-Tellawy, um ativista de Homs entrevistado via Skype.

"Os médicos nos hospitais de campanha estão amputando os feridos. Eles não têm o material necessário para o atendimento e os feridos não podem ser retirados", completou.

Muitas famílias estão bloqueadas na cidade.

Dois policiais na região de fronteira foram feridos nesta segunda-feira por um foguete disparado a partir de território libanês.

O disparo teve origem em Buqaya, que fica a 185 km de Beirute.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.