Refugiados não podem ser discriminados por religião, diz ONU

Organização lembrou que nenhum país pode discriminar os refugiados por conta de suas religiões ou etnias

Nações Unidas - A ONU lembrou nesta sexta-feira a todos os países que não se pode discriminar nenhum refugiado por sua religião, raça ou etnia e que devem assumir as responsabilidades que correspondem sob a legislação internacional.

"Do ponto de vista das Nações Unidas e desde um ponto de vista moral, os refugiados não devem ser tratados de forma distinta em função de sua religião, etnia ou raça", disse o porta-voz da organização Stéphane Dujarric, perguntado pelos comentários do presidente húngaro, Viktor Orbán.

Orbán, de visita em Bruxelas, sustentou na quinta-feira que a Hungria tem direito de decidir que não quer um grande número de muçulmanos em seu território e insistiu que "a única resposta" à crise migratória na Europa é reforçar as fronteiras.

O presidente húngaro insistiu hoje nessa linha e defendeu que se não forem protegidas as fronteiras, podem chegar ao continente dezenas de milhões de refugiados.

A Hungria recebeu nos últimos dias várias críticas por sua gestão da crise, entre outras coisas, por levantar uma cerca em sua fronteira com a Sérvia e bloquear a passagem de refugiados que querem atravessar seu território rumo a outros países.

Dujarric lembrou que todos os países têm que assumir suas responsabilidades sob a Convenção sobre o Estatuto dos Refugiados, a norma internacional que garante a proteção das pessoas refugiadas.

Desde Genebra, o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), António Guterres, alertou hoje que é necessário criar 200 mil vagas para situar os refugiados que estão chegando à Europa e que o fracasso do continente em dar uma resposta comum à crise só beneficiou as redes de traficantes de pessoas. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.