A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Putin assegura que gays não são discriminados na Rússia

Presidente russo Vladimir Putin assegurou que os gays não sofrem nenhum tipo de discriminação no país e que são "cidadãos plenos"

Moscou - O presidente russo, Vladimir Putin, assegurou que os gays não sofrem nenhum tipo de discriminação no país e que são "cidadãos plenos da Federação da Rússia com igualdade de direitos", em entrevista divulgada nesta quarta-feira pelo Kremlin

"As pessoas de orientação sexual não tradicional não são discriminadas nem profissionalmente nem em seus salários", disse Putin em entrevista conjunta para o "Canal 1" da televisão russa e uma agência de notícias americana.

O chefe do Kremlin disse que quando os gays se destacam em seus âmbitos de atividade também não são discriminados no reconhecimento pelo Estado dos resultados de seu trabalho.

Putin explicou que a recente lei russa que sanciona a propaganda da homossexualidade entre os menores não aponta para a discriminação aos gays.

"Asseguro que trabalho com gente assim (gays), às vezes os condecoro por suas conquistas em um ou outro âmbito. Temos relações completamente normais e não vejo nada de extraordinário nisso", disse o presidente.

Perguntado se estaria disposto a se reunir com ativistas pela defesa dos direitos das minorias sexuais, o chefe do Kremlin respondeu afirmativamente.

"Se alguém quiser se reunir comigo, por favor, mas por enquanto não houve nenhuma iniciativa nesse sentido", disse.

O presidente russo disse que há gente interessada em apresentar a lei que castiga a propaganda homossexual entre os menores como uma lei contra os homossexuais e que esse corpo legal é usado para desprestigiar os Jogos Olímpicos de Inverno que acontecerão na cidade russa de Sochi no próximo ano.

"Você pode estar absolutamente certo de que durante a realização de grandes eventos esportivos, dos Jogos Olímpicos em particular, a Rússia vai se reger estritamente pelos princípios do olimpismo, que não admite nenhum tipo de discriminação, nem por nacionalidade, sexo ou, como você disse, orientação sexual", ressaltou.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também