Protesto em Bangladesh por execução de líder deixa 4 mortos

Decisão de enforcar importante figura do partido da coalizão oposicionista Jamaat-e-Islami foi condenada por aliados políticos e grupos internacionais

Daca - Ao menos quatro pessoas morreram em Bangladesh nesta sexta-feira quando partidários do líder islâmico Abdul Quader Mollah protestaram com violência contra a execução dele por crimes de guerra cometidos em 1971 na luta contra o Paquistão pela independência.

A decisão de enforcar Mollah, uma importante figura do partido da coalizão oposicionista Jamaat-e-Islami, foi amplamente condenada pelos aliados políticos do líder islâmico e por grupos internacionais de direitos humanos.

Mas muitos cidadãos celebraram a primeira execução na história de Bangladesh de um criminoso de guerra, ocorrida na quinta-feira à noite no Presídio Central de Daca, a capital.

Mollah, apelidado de "Carniceiro de Mirpur" por sua participação em centenas de assassinatos há 42 anos, foi enterrado na madrugada desta sexta em sua aldeia natal.

Partidários de Jamaat incendiaram veículos e casas, saquearam lojas, lançaram bombas artesanais e bloquearam estradas em várias partes do país em protesto pela execução.

Segundo a polícia, dois ativistas da governista Liga Awami foram agredidos até a morte em Satkhira, no sudoeste, nesta sexta. Uma pessoa morreu em confrontos entre a polícia e simpatizantes de Jamaat no distrito de Noakhali, no sul, e um motorista foi morto depois que manifestantes pró-Jamaat o perseguiram.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.