Promotoria descarta terrorismo em atentado contra o Borussia

Ataque ocorreu em 11 de abril deste ano, antes do ojog com o Monaco, pelas quartas de final da Liga dos Campeões da Europa

Berlim - O Ministério Público da Alemanha devolveu nesta terça-feira o caso do atentado contra o ônibus do Borussia Dortmund para a promotoria local, pois não foram encontrados indícios de que se tratou de uma ação terrorista.

A informação foi divulgada por meio de um comunicado, sobre o ataque realizado em 11 de abril deste ano, antes do duelo da equipe aurinegra com o Monaco, pelas quartas de final da Liga dos Campeões da Europa, que feriu gravemente o zagueiro espanhol Marc Bartra.

"As investigações realizadas não encontraram indícios de que haja conotações terroristas", diz o texto.

A promotoria federal assumiu o caso depois que foram encontrados três cartas reivindicando o atentado, sob a alegação de radicalismo islâmico. A autenticidade dos escritos, no entanto, não foi confirmada.

A hipótese é que o suposto autor, identificado como Sergei W., agiu por interesse econômico, já que tinha apostado na queda de ações do Borussia Dortmund e tentou forçar essa situação com o atentado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.