Procuradora-geral de NY anuncia ações civis contra Donald Trump e seus filhos por fraude

"Estamos tomando medidas legais contra Donald Trump por violar a lei (...) a fim de gerar lucro para ele, sua família e seus negócios", declarou a procuradora em entrevista coletiva
A investigação civil contra a Trump Organization foi aberta após o depoimento no Congresso de Michael Cohen, ex-advogado pessoal de Donald Trump (James Devaney / Colaborador/Getty Images)
A investigação civil contra a Trump Organization foi aberta após o depoimento no Congresso de Michael Cohen, ex-advogado pessoal de Donald Trump (James Devaney / Colaborador/Getty Images)
A
AFPPublicado em 21/09/2022 às 14:53.

A procuradora-geral do estado de Nova York, Letitia James, anunciou nesta quarta-feira (21) ações civis contra o ex-presidente americano Donald Trump e três de seus filhos, depois de investigar as práticas fiscais do grupo empresarial da família, a Trump Organization. 

"Estamos tomando medidas legais contra Donald Trump por violar a lei (...) a fim de gerar lucro para ele, sua família e seus negócios", declarou a procuradora em entrevista coletiva.

James disse ainda que demandará US$ 250 milhões em indenizações em nome do estado de Nova York, assim como proibições corporativas para Donald Trump e seus filhos Donald Trump Jr., Ivanka e Eric.

A investigação civil contra a Trump Organization foi aberta após o depoimento no Congresso de Michael Cohen, ex-advogado pessoal de Donald Trump.

Cohen afirmou que avaliações fraudulentas dos ativos da organização foram feitas, tanto para cima quanto para baixo, para obter empréstimos, reduzir impostos, ou conseguir melhores compensações de seguros.

Além dos processos da Procuradoria do estado de Nova York, há várias investigações em curso envolvendo Trump. Entre elas, está uma sobre arquivos oficiais em poder do ex-presidente que levou a uma busca, por parte do FBI (a Polícia Federal americana), na residência do magnata republicano em Mar-a-Lago, na Flórida.

Veja também: 

Na ONU, Biden diz que guerra na Ucrânia é "brutal e desnecessária" e culpa Putin

Trump declara apoio a Bolsonaro, a quem chama de sua versão 'tropical'