Primeiro-ministro britânico enfrentará voto de confiança e pode deixar cargo

O caso acontece em meio à polêmica sobre repetidas festas organizadas na sede do premiê enquanto o país estava em lockdown para conter o coronavírus
 (WPA Pool / Base de fotógrafos/Getty Images)
(WPA Pool / Base de fotógrafos/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 06/06/2022 às 07:47.

Última atualização em 06/06/2022 às 15:12.

Pressionado por escândalo sobre festas de que teria participado durante a pandemia, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, enfrentará uma votação de confiança no Partido Conservador nesta segunda-feira, 6. Para seguir na liderança da legenda e, portanto, do país, o premiê precisará obter voto favorável de mais da metade dos 359 parlamentares conservadores.

O líder do Comitê que representa o partido no Parlamento, Graham Brady, informou que recebeu pelo menos 54 cartas de legisladores governistas em favor da votação, mais que os 15% necessários para a ativação do dispositivo.

Quer saber tudo sobre a política internacional? Assine a EXAME e fique por dentro.

A sessão deve ocorrer entre 14 horas e 16 horas (horário de Brasília) desta segunda, de acordo com ele.

Caso Johnson saía vitorioso, o partido fica proibido de deflagrar nova votação do tipo por um ano.

Por outro lado, se perder, o primeiro-ministro deixa o governo e será substituído por outro nome da legenda.

O caso acontece em meio à polêmica sobre repetidas festas organizadas na sede do premiê enquanto o país estava em lockdown para conter o coronavírus. No mês passado, um relatório elaborado pela servidora pública Sue Gray definiu que "equipe de liderança sênior deve assumir a responsabilidade" por permitir a realização de eventos "que não deveriam ocorrer".

As reuniões teriam ocorrido entre 2020 e 2021, no auge da pandemia.

LEIA TAMBÉM: Como funciona o voto de desconfiança no primeiro-ministro do Reino Unido