Primeiras-damas africanas pedem fim da violência sexual

Primeiras-damas de vinte países africanos lançaram um apelo para que que autores de crimes sexuais sejam processados e condenados

Paris - As primeiras-damas de vinte países africanos lançaram nesta sexta-feira, em Paris, um apelo para que se dê um fim à violência sexual nas zonas de conflito e que os autores desses crimes sejam processados e condenados.

"Denunciamos a persistência intolerável das violências sexuais nos conflitos e recusamos que as mesmas sejam consideradas consequências inevitáveis das guerras", declararam ao término de uma conferência organizada em Paris por iniciativa de Valérie Trierweiler, a companheira do presidente francês Hollande, por ocasião da cúpula franco-africana no Palácio do Eliseu.

Em seu apelo, as primeiras-damas se comprometeram em "sensibilizar a opinião pública em relação a esses crimes, a trabalhar a favor de sua prevenção e atuar para que os autores sejam processados e punidos, assim como oferecer maior apoio às vítimas".

No caso de os Estados não se comprometerem, os tribunais penais internacionais "têm um papel a desempenhar para castigar esses crimes", concluíram.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.