Mundo

Premiê israelense, Benjamin Netanyahu, entra em quarentena preventiva

Decisão foi tomada depois que um funcionário do gabinete de Netanyahu testou positivo para o novo coronavírus

Por AFP
Publicado em 30/03/2020 10:58
Última atualização em 30/03/2020 11:01

Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, foi colocado em quarentena preventiva nesta segunda-feira (30), depois que um funcionário de seu gabinete testou positivo para o novo coronavírus.

"Mesmo antes da investigação epidemiológica ser concluída e para dissipar qualquer dúvida, o primeiro-ministro decidiu que ele e sua equipe entrariam em confinamento", disseram os serviços do primeiro-ministro à AFP.

A investigação foi iniciada depois que um funcionário do escritório de Netanyahu deu positivo para a COVID-19.

Segundo a "investigação inicial", Netanyahu "não esteve em contato próximo com essa pessoa e não a encontrou", disseram seus serviços em Jerusalém.

O gabinete do primeiro-ministro não informou a data para o fim da quarentena, mas garantiu que o Ministério da Saúde e o médico de Netanyahu vão defini-la em função dos resultados dos testes.

Veja também

Teste mais rápido para vírus pode estar disponível esta semana, diz Trump

CiênciaTeste mais rápido para vírus pode estar disponível esta semana, diz Trumpquery_builder 30 mar 2020 - 10h03

Coronavírus no mundo: Irã tem 2.750 mortes; Argentina amplia quarentena

MundoCoronavírus no mundo: Irã tem 2.750 mortes; Argentina amplia quarentenaquery_builder 30 mar 2020 - 09h03

Com mais de 700.000 infectados, mundo espera chegar ao pico da pandemia

MundoCom mais de 700.000 infectados, mundo espera chegar ao pico da pandemiaquery_builder 30 mar 2020 - 09h03

Essa quarentena ocorre no momento em que o primeiro-ministro mantém discussões com seu ex-rival Benny Gantz para formar um governo de "unidade e crise" para conter a pandemia de coronavírus em Israel. Até o momento, mais de 4.300 casos, incluindo 15 mortos, foram oficialmente registrados no território.

Os dois lados relataram no domingo "progresso significativo" em suas negociações para encerrar a maior crise política da história moderna de Israel.

Netanyahu e Gantz, ex-chefe do Exército de 60 anos, reuniram-se no fim de semana na esperança de desbloquear as negociações e fornecer ao Estado hebreu um gabinete estável após três eleições em menos de um ano.

Gantz justificou essa reaproximação pela necessidade de conter a crise do novo coronavírus, que levou as autoridades a impor uma série de medidas de emergência.

As últimas notícias da pandemia do novo coronavírus:

Mapa mostra como o Brasil e o mundo estão lidando com o novo coronavírus;

As fake news sobre a epidemia que estão circulando pelo mundo;

Saiba quais remédios têm ibuprofeno, não recomendado contra o coronavírus;

Até 57%: os 100 fundos que mais perderam com a crise do coronavírus

Os cuidados que as empresas precisam ter com funcionários;

Vai fazer home office por causa do coronavírus? Confira as dicas


Veja Também