Premiê diz que Iraque respeitará a contragosto sanções contra Irã

Bagdá é aliado de Washington, assim como de Teerã, potência regional xiita muito envolvida nos assuntos políticos iraquianos

O primeiro-ministro iraquiano, Haider al Abadi, disse nesta terça-feira (7) ser obrigado, a contragosto, a respeitar as sanções americanas contra seu vizinho, o Irã, lembrando que seu país sofreu 22 anos de embargo internacional.

"Não apoiamos as sanções porque são um erro estratégico, mas somos obrigados a respeitá-las", declarou em coletiva de imprensa.

"De forma geral, as sanções são injustas, é a minha posição", disse, acrescentando em seguida que deve "proteger nosso povo e nossos interesses".

Bagdá é aliado de Washington, assim como de Teerã, potência regional xiita muito envolvida nos assuntos políticos iraquianos.

O Iraque é o segundo importador de produtos iranianos fora de combustíveis, em um montante que em 2017 alcançou 6 bilhões de dólares.

As províncias iraquianas fronteiriças com o Irã dependem em grande parte da República Islâmica para o fornecimento de eletricidade, embora as empresas privadas iranianas tenham cortado o fornecimento na província de Basra devido a contas não pagas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também