Premiê diz que governo não toma lado em caso Telecom Italia

Letta rejeitou uma proposta para alterar o limite no qual um investidor é obrigado a fazer uma oferta de aquisição total

Bruxelas - O primeiro-ministro italiano Enrico Letta prometeu nesta sexta-feira proteger os investimentos na rede de telecomunicações da Itália, mas disse que o governo não toma partido na disputa sobre o papel da principal acionista da Telecom Italia, o grupo espanhol Telefónica.

"A Telecom Italia é uma empresa privada. Há regras de mercado que têm de ser respeitadas. O mercado é aberto a investidores internacionais e estrangeiros", disse ele a repórteres.

"A rede é um ativo estratégico para o país, mesmo que seja de propriedade privada", disse ele, acrescentando que o governo estava "absolutamente empenhado em garantir o nível máximo de investimentos".

Ele rejeitou uma proposta de um senador de seu próprio Partido Democrata, de centro-esquerda, para alterar o limite no qual um investidor é obrigado a fazer uma oferta de aquisição total, visto normalmente como um modo tornar mais difícil para a Telefónica adquirir controle total sobre a Telecom Italia.

"O governo não apoia qualquer dos jogadores em campo. Eu não acho que o parlamento deva aprovar leis que ajudam um interessado em particular contra outro", disse ele.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.