Prefeito renuncia em crise de desaparecimentos no México

O novo prefeito do município de Iguala renunciou, em meio à crise vinculada ao desaparecimento de 43 estudantes

Cidade do México - O novo prefeito do município de Iguala, Luis Mazón, pediu nesta quarta-feira ao Congresso do estado de Guerrero, no México, para deixar seu cargo, poucas horas depois de ter sido designado em meio à crise política vinculada ao desaparecimento de 43 estudantes na cidade há mais de um mês.

Segundo a imprensa local, Mazón compareceu ao Congresso estadual acompanhado por seu irmão Lázaro, que até duas semanas atrás era secretário de Saúde do governo estadual de Ángel Aguirre, que renunciou na semana passada pressionado pelo mal-estar social gerado pelo desaparecimento dos estudantes.

Lázaro Mazón é considerado o padrinho político do ex-prefeito de Iguala, José Luis Abarca, que se encontra em paradeiro desconhecido e é acusado pelas autoridades de ser o autor intelectual do desaparecimento dos estudantes.

Até agora, não se sabe os reais motivos que levaram Luis Mazón a deixar o cargo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.