A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Poroshenko ordena cessar-fogo no local de queda de avião

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, ordenou cessar-fogo em raio de 40 km ao redor do local onde avião foi supostamente foi abatido

Kiev - O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, ordenou nesta segunda-feira um cessar-fogo em um raio de 40 quilômetros ao redor do local onde supostamente foi abatido há quatro dias o Boeing 777 da Malaysia Airlines com 298 pessoas a bordo.

"Eu dei a ordem. Os militares ucranianos não devem fazer operações nem abrir fogo em um raio de 40 quilômetros a partir do local da tragédia", disse o líder ucraniano aos jornalistas, após visitar a embaixada da Malásia em Kiev.

Por sua vez, Andrei Purguin, um dos líderes dos separatistas de Donetsk, região onde caiu o avião malaio, assegurou que "os milicianos garantiram a segurança na região da catástrofe desde o primeiro dia após o acidente".

"No entanto, junto ao lugar da tragédia se concentram muitas forças ucranianas. Temo que não se possam evitar escaramuças locais. São possíveis provocações da parte ucraniana", advertiu Purguin.

Enquanto, Poroshenko voltou a reiterar que os milicianos que fazem a guarda do local da tragédia, que fica junto à cidade de Grábovo, na região oriental de Donetsk, roubam os pertences das vítimas do acidente, destroem provas e "impedem a comissão de investigação ucraniana de trabalhar".

Os combates entre as forças ucranianas e os separatistas pró-Rússia se intensificaram desde a catástrofe do avião apesar de que a comunidade internacional pediu uma trégua para investigar as circunstâncias da tragédia.

Por outro lado, o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional e Defesa da Ucrânia, Andrei Lisenko, denunciou que vários tanques e caminhões russos passaram da Rússia para território ucraniano para apoiar os separatistas que combatem as forças de Kiev.

Segundo Lisenko, uma coluna de blindados e caminhões tentou entrar em território ucraniano através da passagem fronteiriça de Izvárino, na região de Lugansk.

"Embora a artilharia ucraniana tenha bombardeado a coluna, vários tanques e caminhões conseguiram atravessar a fronteira", apontou Lisenko.

Durante os combates na região de Lugansk, epicentro dos enfrentamentos armados entre os dois bandos desde a rendição da cidade de Slaviansk, as forças ucranianas capturaram 35 prisioneiros.

O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional ressaltou que a maioria dos insurgentes capturados é de cidadãos russos, alguns procedentes do Cáucaso do Norte.

Os combates chegaram hoje a Donetsk, que contava 1 milhão de habitantes antes do conflito, onde pelo menos três pessoas morreram em enfrentamentos na zona ocidental dessa cidade, entre a estação de trens e o aeroporto.

*Atualizada às 09h54 do dia 21/07/2014

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também