Por que Obama cancelou festa de 60 anos com centenas de convidados

Obama havia planejado realizar uma grande festa ao ar livre na ilha de Martha's Vineyard, em Massachusetts, neste sábado, 7
Alguns convidados, como Biden e o atual chefe de gabinete da Casa Branca, Ronald Klain, já haviam decidido não ir ao evento (Getty Images/Getty Images for EIF & XQ/Getty Images)
Alguns convidados, como Biden e o atual chefe de gabinete da Casa Branca, Ronald Klain, já haviam decidido não ir ao evento (Getty Images/Getty Images for EIF & XQ/Getty Images)
I
Isabela Rovaroto

Publicado em 04/08/2021 às 12:07.

Última atualização em 06/08/2021 às 22:11.

As festas com centenas de pessoas estão liberadas após a vacinação contra covid-19? Para Obama, não. O ex-presidente americano desistiu de fazer uma festa de 60 anos após receber criticas de que o evento pudesse disseminar a variante delta do coronavírus.

  • Quer saber tudo sobre o ritmo da vacinação contra a covid-19 no Brasil e no mundo? Assine a EXAME e fique por dentro.

"Este evento ao ar livre foi planejado meses atrás, de acordo com todas as diretrizes de saúde pública e com proteções ambiciosas em vigor. Devido à nova disseminação da variante delta na semana passada, o presidente e a Sra. Obama decidiram reduzir significativamente o evento para incluir apenas a família e amigos próximo. Ele agradece os outros enviando seus desejos de aniversário de longe e espera ver as pessoas em breve", informou a porta-voz de Obama, Hannah Hankins.

Obama havia planejado realizar uma grande festa ao ar livre na ilha de Martha's Vineyard, em Massachusetts, neste sábado, 7. Para garantir a segurança do evento, os organizadores vão exigir a comprovação da vacinação contra covid de todos os convidados, além de um teste negativo para a doença.

Alguns convidados já haviam decidido não ir ao evento. Entre eles, o presidente Joe Biden e o atual chefe de gabinete da Casa Branca, Ronald Klain.

Vacinação nos EUA

Os casos de covid-19, assim como as hospitalizações e mortes pela doença, aumentaram nos Estados Unidos na última semana, afirmaram autoridades do país nesta segunda-feira, 2, mesmo com o avanço da vacinação em meio aos temores com a nova e mais contagiosa variante Delta.

A coordenador da resposta à covid-19 da Casa Branca, Jeff Zients, disse que ao longo das últimas semanas houve um aumento de quase 70% na média de novas pessoas que se vacinaram todos os dias.

Três milhões de americanos receberam a primeira dose nos últimos sete dias, e o país chegou na segunda-feira à marca de 70% dos adultos vacinados com pelo menos a primeira dose.

"Ainda há cerca de 90 milhões de americanos que podem se vacinar, mas ainda não o fizeram, e precisamos que cada um deles faça sua parte", disse.

Nesta semana, Nova York decidiu exigir a prova de vacinação contra covid-19 de clientes e funcionários de restaurantes, academias de ginástica e outros negócios em ambientes fechados no momento em que o país entra em uma nova fase do combate à variante delta altamente contagiosa. A cidade é a primeira grande metrópole americana a aderir a medida.