Mundo

Pesquisa no Chile mostra que 61% da população não sente simpatia por Lula

Obama e Lula são os governantes estrangeiros preferidos dos chilenos, mas as porcentagens são superadas pelos que sentem "pouca" ou "nenhuma" simpatia por esses e outros líderes

Lula e Obama: rejeição tem percentuais mais altos que aceitação (.)

Lula e Obama: rejeição tem percentuais mais altos que aceitação (.)

DR

Da Redação

Publicado em 12 de setembro de 2010 às 14h22.

Santiago - Os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, são os governantes estrangeiros preferidos dos chilenos, mas as porcentagens são superadas pelos que sentem "pouca" ou "nenhuma" simpatia por esses e outros líderes.

É o que mostra uma pesquisa realizada pela Universidad Católica e pela empresa de consultoria Adimark, publicada hoje pelo jornal "El Mercurio".

De acordo com a enquete, 31% dos entrevistados manifesta "muita" ou "bastante" simpatia por Barack Obama e 21% sente o mesmo por Lula. Mais atrás aparecem a presidente da Argentina, Cristina Kirchner (14%), o venezuelano Hugo Chávez e o boliviano Evo Morales (13% cada um), e o peruano Alan García (9%).

Os números, no entanto, são superadas amplamente pelos que sentem "pouca" ou "nenhuma" simpatia pelos governantes, que no caso de Obama, chega a 46% e no de Lula, a 61%. Cristina tem 70%, Morales 73%, Chávez 77%, e García 80%.

Foram entrevistadas 2.012 pessoas em todo o Chile, entre os dias 14 de junho e 20 de julho, e a margem de erro da pesquisa é de 2,2%

Acompanhe tudo sobre:América LatinaBarack ObamaChileLuiz Inácio Lula da SilvaPersonalidadesPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileirosPT – Partido dos Trabalhadores

Mais de Mundo

'Mal posso esperar para o 2º debate contra Biden', diz estrategista de Trump

Participantes do comício de Trump avistaram atirador quase 2 minutos antes dos disparos

Ônibus cai em penhasco e deixa ao menos 21 mortos no Peru

Netanyahu promete aumentar pressão sobre o Hamas após bombardeios contra norte, sul e centro de Gaza

Mais na Exame