Pelo menos 2 viajavam em pequeno avião que caiu na Jamaica

Capitão da Guarda Costeira da Jamaica disse que acredita-se que essa era toda a tripulação que ia a bordo do pequeno avião

	"Missão de resgate" foi enviada ao local e ajudará a esclarecer os detalhes do acidente
 (Michael Martina/Reuters)
"Missão de resgate" foi enviada ao local e ajudará a esclarecer os detalhes do acidente (Michael Martina/Reuters)
D
Da RedaçãoPublicado em 05/09/2014 às 17:22.

Kingston - Pelo menos duas pessoas, piloto e copiloto, viajavam no pequeno avião americano que caiu nesta sexta-feira no litoral da Jamaica depois de atravessar o espaço aéreo cubano e alarmar as autoridades dos Estados Unidos por causa da falta de resposta às chamadas por rádio, informaram fontes das Forças de Defesa jamaicanas.

Basil Jarrett, capitão da Guarda Costeira da Jamaica, disse à Agência Efe que acredita-se que essa era toda a tripulação que ia a bordo do pequeno avião e que em algum momento ficou inconsciente por falta de oxigênio.

No entanto, ele explicou que foi enviado ao local uma "missão de resgate" que ajudará a esclarecer os detalhes do acidente.

Jarrett explicou que a Guarda Costeira da ilha caribenha tinha estado monitorando o pequeno avião desde que entrou em seu espaço aéreo e, após o acidente, enviaram um pequeno avião e um helicóptero ao local.

Segundo confirmou, o pequeno avião, que tinha entrado antes em espaço aéreo cubano após ser escoltado por dois caças dos EUA, acabou caindo finalmente na costa nordeste da Jamaica.

O acidente aconteceu a umas 14 milhas (22 quilômetros) da cidade litorânea de Puerto Antonio, de grande atividade turística.

Segundo detalhou o Comando de Defesa Aérea da América do Norte (Norad), dois caças F-15 americanos escoltaram a aeronave até a linha de 12 milhas litorâneas que marca o espaço aéreo cubano e deixaram de acompanhar a pequena aeronave, um turboélice Socata TBM-700, normalmente com capacidade para sete ocupantes.

O Norad considera que possivelmente o piloto e a tripulação perderam a consciência por falta de oxigênio na cabine.

O avião decolou de Rochester, no estado de Nova York, e se dirigia para Naples, na Flórida, no sudeste do país, onde devia ter aterrissado ao meio-dia (horário local, 13h em Brasília), segundo o portal de acompanhamento de voos FlightAware.

Segundo a trajetória que traçava o pequeno avião, ele se dirigia para a província de Santiago de Cuba, no sul da qual os EUA têm a base naval de Guantánamo.

A Administração Federal de Aviação (FAA) disse em comunicado que o piloto deixou de responder às chamadas de rádio por volta das 13h (14h) quando voava a cerca de 25.000 pés (8.300 metros) de altitude.

Esta mesma semana, o Norad teve que enviar dois caças por causa de uma situação parecida, na qual o piloto de um pequeno avião ficou inconsciente e caiu no Atlântico.