Participação do Irã em negociações de paz na Síria é difícil

Autoridade dos Estados Unidos disse nesta sexta-feira que é "difícil imaginar" que o Irã participe das conversas do próximo mês

Genebra - Uma importante autoridade dos Estados Unidos disse nesta sexta-feira que é "difícil imaginar" que o Irã participe das conversas do próximo mês para a paz na Síria, uma vez que não endossou o comunicado de junho de 2012 que pedia um governo de transição e fornecia apoio militar a Damasco.

A autoridade afirmou que irão continuar as negociações com o mediador Lakhdar Brahimi e outros Estados sobre a participação do Irã nas conversas de paz, mas que há muitas maneiras de Teerã ser inserido no processo, que está apenas no começo, segundo a fonte.

"O Irã, nesta instância, é o único país que colocou seus próprios militares para lutarem em campo, o que é uma posição única", disse a alta autoridade norte-americana.

"Eu espero que o Irã pense sobre retirar seus combatentes e seu apoio, e sobre permitir que a oposição síria e o regime construam de fato um governo de transição com plenos poderes executivos por consentimento mútuo, assim como Lakhdar Brahimi disse, uma nova Síria."

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.