Parlamento europeu vota acordo comercial UE-Reino Unido nesta terça

O Parlamento Europeu votará o tratado comercial pós-Brexit depois que líderes políticos recuaram sob a ameaça de não ratificar o acordo devido a mudanças britânicas nos acordos comerciais da Irlanda do Norte
O Parlamento Europeu votará o tratado comercial pós-Brexit depois que líderes políticos recuaram sob a ameaça de não ratificar o acordo devido a mudanças britânicas nos acordos comerciais da Irlanda do Norte (Toru Hanai/Reuters)
O Parlamento Europeu votará o tratado comercial pós-Brexit depois que líderes políticos recuaram sob a ameaça de não ratificar o acordo devido a mudanças britânicas nos acordos comerciais da Irlanda do Norte (Toru Hanai/Reuters)
R
Reuters

Publicado em 27/04/2021 às 06:12.

Última atualização em 27/04/2021 às 06:19.

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

O Parlamento Europeu votará um tratado comercial pós-Brexit acordado entre o Reino Unido e a União Europeia nesta terça-feira, 27, depois que líderes políticos recuaram sob a ameaça de não ratificar o acordo devido a mudanças britânicas nos acordos comerciais da Irlanda do Norte.

A política vai seguir dando o tom na bolsa? Vai. E você pode aproveitar as oportunidades. Assine gratuitamente a EXAME Invest Pro

Espera-se que os legisladores da UE apoiem de forma esmagadora o acordo de comércio e cooperação, etapa final de sua aprovação, mas havia dúvidas se o fariam a tempo.

O Parlamento enfrenta um prazo limite que se encerra em abril, mas disse que quer ver o Reino Unido avançar na implementação do protocolo da Irlanda do Norte, parte do acordo de retirada do Brexit que cobre a posição especial da região britânica.

Se não houvesse votação neste mês e a aplicação provisória do acordo não fosse prorrogada, o acordo comercial deixaria de ser aplicável, deixando o comércio entre Reino Unido e União Europeia com tarifas e cotas.

A Irlanda do Norte permaneceu no mercado único europeu de bens para garantir uma fronteira aberta contínua com a Irlanda, membro da UE, mas isso exige o controle das mercadorias vindas de outras partes do Reino Unido para a região.

"No entanto, o governo do Reino Unido não deve interpretar isso como um sinal de que estamos baixando a guarda", disse Andreas Schieder, um dos parlamentares encarregados do processo.

Ele disse que o Parlamento estava reforçando sua posição porque o acordo comercial incluía potenciais sanções, como a restrição do acesso ao mercado.

Quais são as grandes tendências do mercado de trabalho? Invista na sua carreira. Assine a EXAME.