Organismo pede à Suíça investigação contra Bush por tortura

Organização Mundial contra a Tortura afirmou que é obrigação da justiça suíça apurar as decisões do ex-presidente dos EUA

Genebra – A Organização Mundial contra a Tortura (OMCT), uma aliança de ONGs que trabalham no assunto, pediu nesta quinta-feira ao Governo suíço a abertura de uma investigação de tortura contra o ex-presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, por ocasião de uma visita que realizará em 12 de fevereiro a Genebra.

“Não existe dúvida da obrigação da Suíça de abrir uma investigação por tortura contra toda pessoa presente em seu território e que tivesse autorizado, participado ou sido cúmplice” de atos relacionados à tortura e atitudes desumanas, ressaltou.

A obrigação é baseada na Convenção das Nações Unidas contra a Tortura, que a Suíça ratificou, “e não existe nenhuma norma que sirva para fazer uma exceção em favor dos antigos chefes de Estado”.

Durante o mandato de Bush, a CIA (agência de inteligência americana) autorizou métodos questionáveis nos interrogatórios de suspeitos de terrorismo em Guantánamo (Cuba), Iraque e Afeganistão, que diversas organizações de defesa dos direitos humanos – incluindo o analista da ONU sobre a Tortura, Manfred Nowak -, denunciaram como torturas.

Em representação de todas as organizações que agrupa, a OMCT enviou uma carta ao Governo suíço lembrando que “existe um conjunto de provas convincentes sobre uma política de tortura e maus-tratos sob a Administração Bush”.

Tal política está “amplamente documentada” e foi revelada à opinião pública “inclusive pelo próprio Governo Bush, que reconheceu ter autorizado técnicas de interrogatório que constituíam em atos de tortura”.

George W. Bush estará em 12 de fevereiro em Genebra para assistir, como convidado de honra, a um jantar de gala organizado pela associação judia Keren Hayessod.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.