Obama expressa apoio a proposta de proibir armas de assalto

Presidente expressou nesta terça-feira seu respaldo à proposta de proibir a venda de armas de assalto, assim como a uma nova legislação sobre o controle de armas

Washington- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, expressou nesta terça-feira seu ”enérgico” respaldo à proposta de proibir a venda de armas de assalto, assim como a uma nova legislação sobre o controle de armas, após o massacre de Newtown na sexta-feira passada, no qual morreram 28 pessoas, entre elas 20 crianças.

”O (presidente) está ativamente a favor da tentativa da senadora Diane Feinstein de reviver a proposta de reinstaurar a proibição das armas de assalto”, indicou Jay Carney, porta-voz da Casa Branca em sua entrevista coletiva diária.

Além disso, acrescentou que Obama ”apoia e apoiaria uma nova legislação que encare o problema do chamado vazio legal das armas e outros elementos como os carregadores de ampla capacidade, por exemplo”.

Os senadores democratas Dianne Feinstein e Chuck Schumer apoiaram no domingo a introdução de um projeto de lei sobre o controle de armas no Congresso dos EUA.

Dianne anunciou que espera apresentar um projeto de lei assim que se constitua o novo Congresso a partir de janeiro.

No entanto, Carney acrescentou que se trata de ”um problema complexo que requer mais de uma solução”.

”Exige não só reexaminar nossas leis sobre armas e como as aplicamos, mas também envolver os profissionais de saúde mental, funcionários de segurança, educadores, pais e as comunidades para encontrar estas soluções”, acrescentou o porta-voz presidencial.

Carney assegurou de novo que ”está claro que como nação não fizemos o suficiente para encarar o aumento de violência das armas neste país”.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.