Novo New Deal? Biden busca “super plano econômico” com republicanos contra a covid-19

O presidente eleito nos EUA, Joe Biden, tenta uma cooperação com a oposição para um novo pacote econômico contra o coronavírus

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, planeja buscar um acordo com republicanos em outra rodada de alívio da covid-19, em vez de tentar forçar um pacote sem o apoio da oposição, segundo duas pessoas a par do assunto.

A abordagem pode resultar em um pacote inicial menor, com algumas prioridades defendidas pelo líder republicano do Senado, Mitch McConnell. A ideia é abrir mão de um processo orçamentário especial que eliminaria a necessidade de obter apoio de pelo menos 10 republicanos no Senado, dividido com 50 assentos para cada lado e sob controle democrata apenas graças ao voto da vice-presidente eleita, Kamala Harris.

A equipe de transição de Biden informou assessores de democratas do Congresso na terça-feira sobre os planos de trabalhar com o Partido Republicano e não usar a chamada reconciliação orçamentária em um pacote de estímulo inicial.

A reunião aconteceu um dia após o ex-líder democrata no Senado, Tom Daschle, instar seu partido a dar a McConnell “razões para ser cooperativo”, o que desbloquearia maiores conquistas legislativas.

Na semana passada, Biden falou sobre um pacote econômico de trilhões de dólares, mas isso poderia se materializar em etapas.

O presidente do Comitê de Assuntos Tributários da Câmara dos Deputados, Richard Neal, que tem conversado com a equipe de transição de Biden, disse em entrevista na terça-feira que gostaria de ver gastos com infraestrutura incluídos no pacote de estímulo e que estaria a bordo em um pacote de US$ 2 trilhões.

Neal também disse que deseja estudar maneiras de corrigir os sistemas estaduais de distribuição de seguro-desemprego e canalizar mais dinheiro para trabalhadores em estados com baixos benefícios.

Na terça-feira, o novo líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, disse a colegas democratas que sua prioridade depois da posse será a legislação de alívio da Covid-19. Ele destacou o aumento dos pagamentos diretos para a maioria dos americanos para US$ 2 mil em relação aos US$ 600 aprovados em dezembro, apoio extra para distribuição de vacinas e ajuda para pequenas empresas, famílias, escolas e governos estaduais e locais.

A senadora Kirsten Gillibrand, democrata de Nova York, acredita que a Lei dos Heróis aprovada pela Câmara, uma medida de US$ 2,2 trilhões de outubro – da qual parte foi incorporada ao compromisso bipartidário de US$ 900 bilhões promulgado em dezembro – seria a estrutura para um projeto de lei “atualizado” que poderia ser aprovado em poucas semanas. Ela acrescentou que licenças remuneradas podem fazer parte da conta.

–Com a colaboração de Jennifer Epstein.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.