Mundo

Novas pesquisas preveem vitória trabalhista histórica nas eleições britânicas

Partido Conservador ganharia 108 assentos, perdendo 257 em comparação com a composição atual do Parlamento

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 19 de junho de 2024 às 16h33.

Última atualização em 19 de junho de 2024 às 16h53.

Tudo sobreReino Unido
Saiba mais

Faltando duas semanas para as eleições de 4 de julho no Reino Unido, duas novas pesquisas, publicadas nesta quarta-feira, 19, preveem uma vitória histórica para o Partido Trabalhista, que conquistaria uma ampla maioria, com 425 ou 516 das 650 cadeiras da Câmara dos Comuns.

De acordo com uma pesquisa do YouGov, a oposição trabalhista deve conquistar 425 das 650 cadeiras do Parlamento do Reino Unido, alcançando "o maior número da história do partido", com 39% dos votos.

Isso faria do líder trabalhista Keir Starmer o próximo primeiro-ministro, pondo fim a 14 anos de governos conservadores.

De acordo com essa pesquisa, o Partido Conservador ganharia 108 assentos, perdendo 257 em comparação com a composição atual do Parlamento.

O instituto Savanta, por sua vez, chega a estimar uma vitória dos trabalhistas com 516 cadeiras, o dobro do número obtido por Tony Blair em 1997.

Nesse levantamento, os conservadores teriam apenas 53 cadeiras, uma derrota esmagadora e sem precedentes para o partido.

Além disso, o levantamento do Savanta, realizado para o jornal Daily Telegraph, prevê inclusive que o primeiro-ministro conservador Rishi Sunak poderia perder sua cadeira em Richmond (Yorkshire) para os trabalhistas, uma situação jamais vista para um chefe de governo, embora as projeções sejam muito próximas.

De acordo com essas duas pesquisas, figuras importantes do governo conservador, como o ministro das Finanças (Fazenda), Jeremy Hunt, o ministro da Defesa, Grant Shapps, e a ministra de Relações Parlamentares, Penny Mordaunt, perderiam suas cadeiras.

Os Liberais Democratas (Lib Dems), um partido centrista, poderiam se tornar a terceira força no Parlamento, com 67 cadeiras, de acordo com o YouGov.

Assim, eles ultrapassariam os separatistas escoceses do SNP, em dificuldades por causa do Partido Trabalhista, que conseguiriam apenas 20 cadeiras em Westminster.

O partido de extrema direita Reform UK, do eurocético Nigel Farage, que vem subindo nas pesquisas, conquistaria suas primeiras cinco cadeiras, com 15% dos votos, inclusive em Clacton, no leste da Inglaterra, onde o líder do partido está se candidatando, de acordo com o YouGov.

Por outro lado, o Savanta acredita que o Reform UK não conquistaria nenhuma cadeira devido ao sistema de voto distrital majoritário em turno único, marcando a oitava derrota de Farage, que já foi membro do Parlamento Europeu, mas nunca conseguiu entrar para o Parlamento britânico.

O instituto acrescenta que as disputas de mais de 100 cadeiras têm margens tão estreitas entre os candidatos que podem ir para qualquer um dos lados.

Acompanhe tudo sobre:Reino UnidoEleições

Mais de Mundo

Venezuela: campanha eleitoral termina hoje, com Maduro falando em "banho de sangue"

PIB dos Estados Unidos acelera e taxa anualizada vai a 2,8% no 2º trimestre

Netanyahu defende conflito em Gaza no Congresso americano e milhares protestam contra ele

Qual o país com o passaporte mais 'poderoso' do mundo?

Mais na Exame