Nova York proíbe cigarros eletrônicos em lugares públicos

Conselho Municipal aprovou a proibição, aplicando as mesmas restrições dos cigarros produzidos com tabaco

	Pessoa fuma cigarro eletrônico: fumaça, tanto se for de tabaco como de vapor de nicotina, passa assim a estar proibida nos espaços públicos de Nova York
 (Kenzo Tribouillard/AFP)
Pessoa fuma cigarro eletrônico: fumaça, tanto se for de tabaco como de vapor de nicotina, passa assim a estar proibida nos espaços públicos de Nova York (Kenzo Tribouillard/AFP)
Por Da RedaçãoPublicado em 15/07/2014 13:57 | Última atualização em 15/07/2014 13:57Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Nova York - O Conselho Municipal de Nova York aprovou nesta segunda-feira a proibição do uso de cigarros eletrônicos em lugares públicos, aplicando as mesmas restrições dos cigarros produzidos com tabaco.

A fumaça, tanto se for de tabaco como de vapor de nicotina, passa assim a estar proibida nos espaços públicos da cidade, mediante à chamada lei 'ar sem fumaças' ('Smoke-Free Air Act') que foi assinada por Michael Bloomberg em seu penúltimo dia como prefeito.

'Os cigarros eletrônicos são uma solução química e emitem um vapor no qual o usuário tem contato com a mesma quantidade de nicotina dos cigarros convencionais. A próxima geração de potenciais fumantes poderia ficar viciada na nicotina através deste tipo de produtos', assegurou Bloomberg.

A medida foi aprovada com 43 votos a favor e 8 contra e Bloomberg realizou esta modificação na lei assegurando que responde ao mesmo objetivo com o qual proibiu o tabaco, que era, em última instância, 'melhorar a saúde de todos os nova -iorquinos'.

Além da proibição do cigarro eletrônico em lugares públicos, o Conselho Municipal de Nova York assinou outras 21 normas, como o anexo da lei de reciclagem que estudará se o poliestireno é reciclável e se, em caso contrário, deveria ter seu uso permitido, especialmente com relação aos alimentos cozinhados.

'Se a comissão determinar que o poliestreno não é reciclável, a partir de 1 de julho de 2015 nenhum negócio poderá vendê-lo ou oferecê-lo para o uso individual. Esta proibição não afetará a comida empacotada que tenha sido embalada antes de chegar ao centro comercial ou no estabelecimento, assim como o poliuriteno utilizado para armazenar comida crua', disse o prefeito em fim de mandato. EFE