• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

No Uruguai, mais da metade dos consumidores usa maconha legal

No país, existem três formas de adquirir cannabis por meio do sistema regulamentado e registrado pelo Estado: autocultivo, cultivo em cooperativas ou clubes
Maconha: desde a primeira venda em julho do ano passado, o Estado canalizou 752 kg de erva através das farmácias (Thinkstock/OpenRangeStock)
Maconha: desde a primeira venda em julho do ano passado, o Estado canalizou 752 kg de erva através das farmácias (Thinkstock/OpenRangeStock)
Por AFPPublicado em 03/05/2018 20:40 | Última atualização em 03/05/2018 20:40Tempo de Leitura: 2 min de leitura

No Uruguai, onde o mercado da maconha foi regulamentado, 54% dos consumidores da substância compram dentro do sistema legal, e o volume disponível continua insuficiente, de acordo com um relatório oficial.

"Antes do primeiro ano de implementação, o mercado regulado alcança 54% dos usuários de maconha", afirma o relatório do Instituto de Regulamentação e Controle da Cannabis (IRCCA), que explica que esse percentual inclui consumidores registrados, ou não, no Estado.

No Uruguai, existem três formas de adquirir cannabis por meio do sistema regulamentado e registrado pelo Estado: o autocultivo, o cultivo em cooperativas ou clubes, e a compra em farmácias de até 40 gramas mensais.

A venda em farmácias começou em julho do ano passado, e as duas empresas que produzem para o Estado, que leva a droga para a rede de distribuição, não conseguiram suprir a demanda das quase 24 mil pessoas registradas para comprar.

De acordo com o estudo "Mercado regulado da cannabis", um autocultivador, ou membro de clube canábico "provê a outras duas pessoas (...), enquanto as pessoas que adquirem na farmácia compartilham apenas com uma pessoa a mais".

Assim, embora apenas 23% das 147 mil pessoas que o governo estima serem consumidoras de maconha no país estejam registradas como cultivadoras, membro de clube, ou comprador em farmácias, a população que realmente tem acesso à cannabis regulada é muito maior.

O número de pessoas registradas para comprar maconha produzida sob controle estatal e vendida em farmácias no Uruguai se encaminha para quintuplicar em nove meses dos 4.900 inscritos inicialmente, e a produção ainda não é suficiente para suprir a demanda.

Desde a primeira venda em julho do ano passado, o Estado canalizou 752 kg de maconha através das farmácias.

A maconha estatal é produzida em estufas a 50 km oeste de Montevidéu, sob forte vigilância das autoridades.