Nenhum policial será denunciado por atirar pelas costas em Jacob Blake

Blake, de 29 anos, foi baleado em 23 de agosto enquanto seus três filhos o observavam no momento que ele tentava entrar no carro
 (Twitter/Reprodução)
(Twitter/Reprodução)
A
AFP

Publicado em 05/01/2021 às 19:52.

Última atualização em 05/01/2021 às 21:02.

Os policiais envolvidos na realização de disparos que feriram gravemente o afro-americano Jacob Blake, que sobreviveu, mas ficou paralisado, em agosto do ano passado, em Kenosha, não serão processados, anunciou nesta terça-feira, 5, o promotor encarregado do caso, que reacendeu a revolta antirracista nos Estados Unidos.

"Nenhum agente de Kenosha será acusado (...) Baseando-nos nos fatos e na lei, decidimos que não serão apresentadas acusações", disse o promotor local, Michael Graveley, durante coletiva de imprensa.

Em antecipação a este anúncio, o conselho municipal declarou estado de emergência na cidade de 100.000 habitantes no estado de Wisconsin. Além disso, 500 membros da Guarda Nacional estão preparados para agirem em caso de violência.

Blake, de 29 anos, foi baleado em 23 de agosto enquanto seus três filhos o observavam no momento que ele tentava entrar no carro. Gravemente ferido, ele perdeu o uso das pernas.

Imagem captada de vídeo que circula nas redes sociais mostra abordagem da polícia a Jacob Blake em Kenosha, em Wisconsin Imagem captada de vídeo que circula nas redes sociais mostra abordagem da polícia a Jacob Blake em Kenosha, em Wisconsin

Imagem captada de vídeo que circula nas redes sociais mostra abordagem da polícia a Jacob Blake em Kenosha, em Wisconsin

(Twitter/Reprodução)

A cena foi filmada por uma testemunha e os agentes envolvidos foram suspensos de suas funções.

O caso gerou três noites de tumulto em Kenosha, culminando em 25 de agosto, quando um jovem de 17 anos disparou um rifle semiautomático contra três manifestantes, matando dois.

Sua prisão no dia seguinte trouxe uma calma precária à cidade. O jovem, Kyle Rittenhouse, foi posteriormente libertado sob fiança de 2 milhões de dólares. Na terça-feira, ele se declarou inocente.

Protestos após a morte de Jacob Blake

Protestos após a morte de Jacob Blake (Brandon Bell/Getty Images)

O caso causou forte mobilização no meio esportivo e no cenário político. Até os então candidatos presidenciais Donald Trump e Joe Biden foram até a cidade.

O país testemunhou um movimento de protesto histórico contra o racismo e a violência policial desde a morte de George Floyd, um afro-americano sufocado por um policial branco em 25 de maio em Minneapolis.