Izabella Teixeira recebe prêmio ambiental da ONU

Ministra recebeu o prêmio "Campeões da Terra 2013" por sua liderança mundial em defesa da natureza
Izabella Teixeira fala em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 18 de setembro, por ocasião de prêmio ambiental (AFP/STAN HONDA)
Izabella Teixeira fala em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 18 de setembro, por ocasião de prêmio ambiental (AFP/STAN HONDA)
D
Da RedaçãoPublicado em 18/09/2013 às 22:14.

Nova York - A ministra brasileira de Meio Ambiente, Izabella Teixeira, recebeu nesta quarta-feira, em Nova York, o prêmio da ONU "Campeões da Terra 2013" por sua liderança mundial em defesa da natureza.

Izabella foi premiada pelos "esforços vitoriosos do Brasil para reverter o desmatamento na Amazônia", segundo a ONU.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) reconhece com este prêmio a líderes de governo, da sociedade civil e do setor privado que tiveram atuação ambiental de destaque.

O prêmio foi entregue durante a tarde no Museu de História Natural de Nova York, perto do Central Park.

O prêmio à ministra brasileira é um reconhecimento das realizações de seu país na luta pela preservação da floresta amazônica, que conseguiu reduzir o desmatamento para 4.571 km2 em 2012, o mais baixo em décadas, após o máximo alarmante de 27.772 km2 em 2004.

No entanto, a distinção também vem em um momento delicado para este vasto ecossistema de quase 2 milhões de km2, com indicadores que apontam para um aumento do desmatamento no ano passado.

"Este é um prêmio que reconhece e nos impulsiona a fazer mais", disse Izabella, premiada na categoria "liderança política".

"Este prêmio mostra que o Brasil tem condições de alcançar o desenvolvimento sustentável mais rápido do que qualquer outro país do mundo, não só por suas características ambientais, mas também pelas características de um povo pacífico e unido", acrescentou.

Entre os premiados também estão a ativista mexicana Martha Ruiz Corzo, o Google - por seu programa Google Earth - e o italiano Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food.