Mundo

Milei acusa Lula de interferência e o chama de "comunista" dias antes de vir ao Brasil

Líder argentino se encontrará com família Bolsonaro durante evento em Balneário Camboriú

Javier Milei, presidente da Argentina, durante visita a Praga (Michal Cizek/AFP)

Javier Milei, presidente da Argentina, durante visita a Praga (Michal Cizek/AFP)

Rafael Balago
Rafael Balago

Repórter de macroeconomia

Publicado em 2 de julho de 2024 às 10h08.

Última atualização em 2 de julho de 2024 às 10h11.

O presidente da Argentina, Javier Milei, fez novos ataques ao presidente Lula, poucos dias antes de uma viagem ao Brasil.

"Depois das agressões de Lula (em especial sua forte interferência na campanha eleitoral e o sólido apoio à campanha mais suja da história), se queixa porque lhe respondo com a verdade (esteve preso por corrupção e é comunista)", publicou Milei, na rede social X, na manhã desta terça-feira, 2.

Milei incluiu Lula em uma aparente resposta ao jornalista argentino Morales Sosa, que fez críticas a ele em um programa de TV. O presidente direcionou a resposta a um "perfeito dinossauro idiota", sem dizer explicitamente a quem se dirigia.

https://x.com/JMilei/status/1808080124874523060

Em 2023, Lula declarou apoio ao candidato peronista Sergio Massa, que disputou a Presidência com Milei. O argentino já fez outros ataques ao presidente brasileiro, antes e depois de assumir o governo. Lula não foi à posse de Milei e também não visitou a Argentina desde então.

Em outra postagem, pouco depois, Milei republicou um post do deputado federal Eduardo Bolsonaro, com a confirmação que o líder argentino estará no evento Cpac Brasil, em Balneário Camboriú, nos dias 6 e 7 de julho. No evento, Milei deverá se encontrar com o ex-presidente Jair Bolsonaro.

Esta será a primeira viagem de Milei ao Brasil como presidente, e ele não deverá se encontrar com Lula. Os dois ainda não tiveram nenhuma reunião presencial desde a posse do argentino, em dezembro. Milei anunciou também que não irá à Cúpula do Mercosul marcada para os dias 7 e 8 de julho em Assunção, em que Lula estará presente.

Acompanhe tudo sobre:Javier MileiArgentinaGoverno Lula

Mais de Mundo

Republicanos exigem renúncia de Biden, e democratas celebram legado

Apesar de Kamala ter melhor desempenho que Biden, pesquisas mostram vantagem de Trump após ataque

A estratégia dos republicanos para lidar com a saída de Biden

Se eleita, Kamala será primeira mulher a presidir os EUA

Mais na Exame