Mercosul: Bolsonaro critica exigência de consenso para decisões do bloco

Bolsonaro, que defendeu a revisão da Tarifa Externa Comum (TEC) e a redução de barreiras comerciais internas, afirmou que a regra "não pode ser instrumento de veto ou freio permanente" para decisões do bloco
 (Marcos Corrêa/PR/Flickr)
(Marcos Corrêa/PR/Flickr)
Por ReutersPublicado em 26/03/2021 12:36 | Última atualização em 26/03/2021 12:36Tempo de Leitura: 1 min de leitura

Em um discurso em que ficaram claras as intenções divergentes entre Brasil e Argentina no Mercosul, o presidente Jair Bolsonaro criticou nesta sexta-feira a regra do bloco de que todas as decisões precisam ser tomadas por consenso.

Bolsonaro, que defendeu a revisão da Tarifa Externa Comum (TEC) e a redução de barreiras comerciais internas, afirmou que a regra "não pode ser instrumento de veto ou freio permanente" para decisões do bloco.

O Brasil pressiona pela redução da TEC em diversos setores, e o processo de negociação sobre alternações na TEC e também tenta convencer os países parceiros a permitir acordos comerciais extra-bloco independentes, mas enfrenta a resistência da Argentina.

Bolsonaro disse ainda que "diferenças de perspectiva econômica ou política não devem afetar o processo de integração" dos países e que o bloco precisa recuperar um espaço relevante no fluxo de comércio internacional.