Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Mais de 1.400 golfinhos são mortos em um único dia de caça na Europa

Mesmo com alguns moradores apoiando a regulamentação de uma caça mais sustentável, atualmente a prática é legalizada e apoiada pelo governo local

A caça de baleias de golfinhos, conhecida como grindadrap, é uma prática milenar nas Ilhas Faroé, território dependente da Dinamarca, localizado no Atlântico Norte entre a Escócia e a Islândia, e faz parte da dieta de muitos habitantes locais. Mesmo com alguns moradores apoiando a regulamentação de uma caça mais sustentável, incluindo regras sobre a matança de mamíferos, atualmente a prática é legalizada e apoiada pelo governo local. Segundo o próprio site do governo, todos os animais marinhos caçados "devem ser mortos da maneira mais rápida e eficiente possível."

Nesta semana, parte do mundo se chocou quando mais de 1.400 golfinhos foram mortos no território durante apenas um dia, o maior número já registrado na área. A mídia local publicou imagens e vídeos dos animais encalhados sendo arrastados e até mesmo apoiadores da caça ficaram chocados com as cenas.

Olavur Sjurdarberg, presidente da Associação de Baleeiros das Ilhas Faroé, confirmou as mortes à BBC, dizendo que embora o número de golfinhos mortos tenha sido excessivo, foi algo "acidental". "Foi um grande erro", afirmou. "Quando o casulo foi encontrado, eles estimaram que eram apenas 200 golfinhos."

Sjurdarberg disse que os caçadores não sabiam o tamanho do casulo antes de começarem a matar, mas que "alguém deveria ter tido essa noção anteriormente".

Ele disse que a caça foi autorizada pelas autoridades das Ilhas Faroé, contradizendo as afirmações do Sea Shepard, grupo ativista que denunciou o acontecimento, de que os funcionários "nunca foram informados e, portanto, nunca autorizaram a caça". O grupo ativista também havia dito que muitos participantes da caçada não tinham licença.

As imagens abaixo podem conter conteúdo sensível para alguns leitores.

Golfinho morto após caça nas Ilhas Faroé, na Europa.

Golfinho morto após caça nas Ilhas Faroé, na Europa. (Sea Shepherd/Reprodução)

Mais de 1.400 animais foram mortos.

Mais de 1.400 animais foram mortos. (Sea Shepherd/Reprodução)

O meio de comunicação das Ilhas Faroé, Kringvarp Føroya, afirmou que 500 pessoas e 50 barcos se inscreveram para participar da caça. A obtenção de uma licença para caçar mamíferos marinhos nas ilhas requer treinamento específico sobre como os caçadores devem matar suas capturas para cumprir a legislação de bem-estar animal. Vídeos da caça postados pelo grupo ativista mostram que muitos dos golfinhos ainda estavam se movendo depois de serem colocados na costa ao lado de animais mortos.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Cultura das Ilhas Faroé disse à CBS News que a caça foi organizada e realizada de acordo com a lei. "Não houve violação de leis e regulamentos", afirmou um porta-voz do ministério.

Os moradores locais capturam uma média de 600 baleias anualmente, de acordo com dados do governo. De 2000 a 2020, o número de golfinhos mortos em um ano não passou de 773.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também