Mundo

Mais da metade dos britânicos acredita que Liz Truss deveria renunciar

Entre os eleitores conservadores, 36% pensam que ela deve deixar o cargo

Por outro lado, 54% estão a favor da saída de seu ministro de Finanças, Kwasi Kwarteng (Dan Kitwood/Getty Images)

Por outro lado, 54% estão a favor da saída de seu ministro de Finanças, Kwasi Kwarteng (Dan Kitwood/Getty Images)

A

AFP

Publicado em 30 de setembro de 2022 às 16h02.

Última atualização em 30 de setembro de 2022 às 16h17.

Mais da metade dos britânicos considera que a primeira-ministra Liz Truss, no cargo há menos de um mês, deveria renunciar, segundo uma pesquisa do instituto YouGov publicada nesta sexta-feira, 30.

Após uma semana de turbulências políticas e financeiras causadas pelo projeto econômico da chefe de Estado, 51% dos britânicos consideram que a nova primeira-ministra deveria renunciar.

Entre os eleitores conservadores, 36% pensam que ela deve deixar o cargo.

Por outro lado, 54% estão a favor da saída de seu ministro de Finanças, Kwasi Kwarteng, afirmação que 41% dos eleitores conservadores concordam.

Nomeada primeira-ministra em 6 de setembro, as primeiras semanas de Truss em Downing Street foram marcadas pela morte da rainha Elizabeth II e, depois, por anúncios orçamentários que se tornaram um fiasco financeiro em meio à crise do custo de vida.

Após Kwarteng apresentar um "miniorçamento" com base em enormes cortes de impostos financiados pela dívida, em 23 de setembro, os mercados se preocuparam e a libra esterlina atingiu uma baixa histórica na segunda-feira.

O Fundo Monetário Internacional pediu que Reino Unido revisar suas decisões e o Banco Central decidiu intervir urgentemente para acalmar os mercados.

LEIA TAMBÉM:

Economia britânica evita recessão ao registrar crescimento no 2º trimestre

Primeira-ministra britânica defende polêmica redução de impostos

Acompanhe tudo sobre:InglaterraReino Unido

Mais de Mundo

'A defesa da democracia é mais importante do que qualquer título', diz Biden em discurso

Governo Lula se diz irritado com falas de Maduro, mas evita responder declarações

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas

Em discurso a irmandade negra, Kamala pede ajuda para registrar eleitores e mobilizar base a votar

Mais na Exame