• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Maduro anuncia venda de ações de estatais venezuelanas

Segundo o presidente, a medida entrará em vigor porque as empresas precisam "de capital" para o seu desenvolvimento
 (Reuters/Manaure Quintero)
(Reuters/Manaure Quintero)
Por AFPPublicado em 12/05/2022 10:13 | Última atualização em 12/05/2022 10:13Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Venezuela começará a oferecer na próxima segunda-feira a venda de ações de empresas estatais, anunciou o presidente Nicolás Maduro nesta quarta-feira, em uma tentativa de capitalizar empresas atingidas pela crise e pela falta de investimentos.

"Colocaremos à venda entre 5% e 10% das ações de várias empresas públicas para o investimento nacional, fundamentalmente, ou internacional, e você poderá se tornar um investidor", informou Maduro em pronunciamento no canal estatal VTV.

Segundo o presidente, a medida entrará em vigor porque as empresas precisam "de capital" para o seu desenvolvimento. "Precisamos de tecnologia, precisamos de novos mercados e iremos avançar."

LEIA TAMBÉM: Venezuela tenta 'desdolarizar' economia contra inflação. É possível?

Desde o ano passado, algumas ONGs, como a Transparência Venezuela, informavam que o governo estava em negociações com empresas privadas para entregar empresas estatais: "O governo venezuelano de Nicolás Maduro, em uma aparente desvinculação do chamado socialismo do século XXI, começou a entregar o comando das empresas estatais para alguns privados", indicou a ONG em dezembro, após identificar 33 casos vinculados aos setores agroalimentar, do turismo e manufatureiro.

Nenhum desses casos foi confirmado ou desmentido pelo governo, que, desde o mandato de Hugo Chávez (1999-2013) implementou controles de preços, do mercado de câmbio e estatizou empresas, mas começou a relaxar suas medidas em 2018, em meio ao ápice da crise caracterizada por uma escassez generalizada, hiperinflação e falhas nos serviços públicos.

Maduro mostra-se agora "aberto a ouvir novas propostas, ideias e visões, para que a Venezuela se recupere. Reitero meu apelo a todos os venezuelanos. Vamos deixar a mesquinhez de lado, é hora de trabalharmos unidos e consolidarmos esta primeira etapa do crescimento da economia real", tuitou o presidente minutos após o seu pronunciamento.

LEIA TAMBÉM: Relação com a Venezuela vira incômodo para Bolsonaro e Lula