Kamala Harris renuncia ao Senado em meio aos últimos preparativos para posse

As autoridades americanas estão buscando garantir uma transição de governo tranquila – em todos os sentidos

Kamala Harris, eleita vice-presidente dos Estados Unidos na chapa com Joe Biden, renuncia nesta segunda-feira (18) à sua vaga no Senado. É um dos últimos preparativos para a posse dos democratas, na quarta.

Quer saber como as mudanças políticas nos Estados Unidos afetam os seus investimentos? Leia as análises da EXAME Research!

A vice-presidente eleita, que representou a Califórnia como senadora por quatro anos, já notificou o governador do estado. Segundo a imprensa americana, Sonia Sotomayor, primeira juíza negra da Supre Corte, é quem vai conduzir o juramento de Harris.

Enquanto o presidente Donald Trump se comporta como um mau perdedor, seu vice, Mike Pence, tenta imprimir um pouco de normalidade à transição de governo. Após recusar o pedido de Trump para impedir a formalização de Biden como vencedor da eleição de novembro, o atual vice telefonou a Harris para parabenizá-la e lhe oferecer o avião oficial que serve os ocupantes do cargo para buscá-la para a cerimônia da posse – retribuindo a gentileza do então vice-presidente Biden quatro anos atrás.

Para Biden, é importante conduzir o processo da maneira mais suave possível, tentando construir um bom relacionamento com os republicanos que se recusam a apoiar Trump. Pence, por sua vez, busca garantir seu futuro político distanciando-se da figura do atual presidente, que alega, sem nenhuma base na realidade, que o pleito foi fraudado para lhe roubar a reeleição.

Esse discurso tem inflamado os fiéis eleitores de Trump, muitos radicais de direita. A chocante invasão do Capitólio, sede do Parlamento americano, há dez dias, foi a expressão concreta da indignação desses eleitores com o resultado da eleição e a mudança de governo. Depois do tumulto, a capital americana, Washington, vai sediar uma cerimônia de posse com aparato de segurança reforçado.

Nos últimos dias, a polícia recebeu diversas denúncias de planos de extremistas para cometer atos violentos no dia 20. Como parte do plano para garantir que a cerimônia de posse transcorra bem, as autoridades estão vetando a circulação de aviões no espaço aéreo de Washington e pediram que os hoteis cancelem as reservas de hóspedes para esta semana feitas logo após o ataque ao Capitólio

Os militares sugeriram a Biden realizar a cerimônia de posse dentro do Capitólio, e não ao ar livre, como de costume, mas o presidente eleito recusou a proposta. Para restringir a circulação de pessoas na área na quarta, as autoridades pediram que as repartições públicas coloquem os seus funcionários em home office nesta semana. Determinaram o fechamento de parques e restringiram o número de espectadores na posse. Uma cerimônia pacífica tem uma grande importância simbólica no momento em que o novo presidente precisa voltar a unir um país e deixar para trás quatro anos de polêmica e destempero.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também