Mundo

Por conflito político, jogador do Arsenal não disputa final no Azerbaijão

A decisão do meia-atacante Henrikh Mkhitaryan foi motivada pelos problemas entre os países que fizeram parte da União Soviética e já entraram em guerra

O jogador do Arsenal foi criticado pela imprensa do Azerbaijão (Harriet Lander/Getty Images)

O jogador do Arsenal foi criticado pela imprensa do Azerbaijão (Harriet Lander/Getty Images)

E

EFE

Publicado em 22 de maio de 2019 às 10h57.

Última atualização em 22 de maio de 2019 às 11h33.

Baku — A imprensa do Azerbaijão criticou nesta quarta-feira (22), de maneira quase geral, a decisão do meia-atacante armeno Henrikh Mkhitaryan, do Arsenal, de não disputar a final da Liga Europa, contra o Chelsea, no dia 29.

"Preferiu ser refém dos próprios medos. O mais importante é que confundiu o campo de futebol com o mundo político", diz o site "Zerkalo".

A decisão foi motivada pelos problemas nas relações diplomáticas entre Armênia e Azerbaijão, que fizeram parte da União Soviética e já entraram em guerra pela região de Nagorno-Karabakh, localizada no território azeri, mas com maioria de população armena.

"O jogo terminou de uma maneira previsível. Henrikh marcou um gol contra", completa o "Zerkalo".

O site "Haqqin", por sua vez, acusou o Arsenal de praticar o "jogo sujo" e de tornar a situação mais conturbada, com direito a desinformar a imprensa mundial sobre supostos problemas de segurança em Baku.

"Depois de anunciarem a decisão, o clube de Londres ainda tenta jogar no Azerbaijão e na Uefa toda a culpa pela medida tomada por Mkhitaryan", aponta o veículo.

De acordo com o site, o meia-atacante dos 'Gunners' não tinha qualquer intenção de viajar para o Azerbaijão, mas optou por transformar o assunto em um problema internacional.

"Certamente, essa história será aproveitada como justificativa, se o Arsenal perder para o Chelsea", publicou o "Haqqin".

Recentemente, o governo do Azerbaijão se manifestou, garantindo que não haveria nenhum impedimento para a entrada do meia-atacante no país, apesar dos problemas diplomáticos com a Armênia.

"Exploramos todas as opções possíveis para que Micki fizesse parte do time, mas depois de consultar ele e a família, chegamos a conclusão de que não deveria fazer parte da viagem", afirma comunicado divulgado ontem pelo Arsenal.

Mkhitaryan já se recusou a viajar para o Azerbaijão, em 2015, quando defendia o Borussia Dortmund, que enfrentaria o Qabala, pela fase de grupos da Liga Europa.

Acompanhe tudo sobre:ArmêniaAzerbaijãoEXAME-no-InstagramJogadores de futebol

Mais de Mundo

'A defesa da democracia é mais importante do que qualquer título', diz Biden em discurso

Governo Lula se diz irritado com falas de Maduro, mas evita responder declarações

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas

Em discurso a irmandade negra, Kamala pede ajuda para registrar eleitores e mobilizar base a votar

Mais na Exame