Mundo

Japão investiga 80 mortes suspeitas de ter ligação com suplemento alimentar

Empresa recebeu relatos de que 1.656 pessoas procuraram tratamento médico por causa de produtos

Homem passa ao lado do escritório da Kobayashi Pharmaceutical em Tóquio

Homem passa ao lado do escritório da Kobayashi Pharmaceutical em Tóquio

Publicado em 1 de julho de 2024 às 09h29.

Uma empresa farmacêutica japonesa investiga 80 mortes possivelmente ligadas a um suplemento contendo levedura, segundo informou o Ministério da Saúde do país. Os casos estão chamando a atenção para a forma como os suplementos são regulamentados no Japão.

A empresa Kobayashi Pharmaceutical relatou em março cinco mortes potencialmente ligadas ao arroz CholesteHelp e às pílulas de fermento vermelho. Autoridades de saúde do governo japonês disseram que o suplemento, que alegava ajudar a reduzir o colesterol, continha uma substância altamente tóxico produzido pelo mofo.

Em resposta ao aumento repentino de mortes relatadas, o Ministro da Saúde, Keizo Takemi, disse que era “extremamente lamentável” que a Kobayashi Pharmaceutical não tivesse informado o ministério antes sobre as mortes suspeitas. A empresa, com sede em Osaka, não forneceu novas informações sobre mortes potencialmente ligadas ao CholesteHelp desde março.

Desde então, a Kobayashi Pharmaceutical recebeu relatos de que 1.656 pessoas procuraram tratamento médico por problemas de saúde relacionados com o CholesteHelp e 289 pessoas foram hospitalizadas, informou a empresa. O CholesteHelp foi recolhido no Japão e na China, os únicos países onde o suplemento foi vendido, de acordo com uma porta-voz da Kobayashi Pharmaceutical.

Takemi disse que o governo interviria para assumir um papel mais ativo na investigação depois de permitir que a empresa relatasse suas próprias descobertas. “Não podemos mais deixar a Kobayashi Pharmaceutical sozinha para lidar com isso”, disse ele.

Fundada em 1919, a Kobayashi Pharmaceutical não é uma das principais empresas farmacêuticas do Japão, mas produz uma variedade de suplementos e produtos de saúde, como aquecedores, alguns dos quais são vendidos nos Estados Unidos e em outros lugares da Ásia.

Acompanhe tudo sobre:JapãoSaúde

Mais de Mundo

Trump se pronuncia após ser atingido na cabeça em comício na Pensilvânia

Biden se pronuncia sobre tiroteio no comício de Trump: "Estou grato em saber que ele está bem"

'Atentado contra Trump deve ser repudiado', diz Lula sobre tiros durante comício

Ataque a Trump: Cidade que receberá convenção republicana está 'sitiada', com segurança reforçada

Mais na Exame