Irã reverterá ações nucleares quando EUA suspenderem sanções, diz chanceler

Na quinta-feira, o governo Biden disse estar pronto para ressuscitar um acordo de 2015 entre o Irã e potências mundiais que o ex-presidente Donald Trump abandonou em 2018
 (Dalati Nohra/Divulgação/Reuters)
(Dalati Nohra/Divulgação/Reuters)
R
ReutersPublicado em 19/02/2021 às 09:55.

O Irã "reverterá imediatamente" as ações relacionadas ao seu programa nuclear quando as sanções dos Estados Unidos forem suspensas, disse o ministro das Relações Exteriores do país nesta sexta-feira, reiterando a posição de Teerã quanto à proposta de Washington de retomar as conversas.

Na quinta-feira, o governo do presidente norte-americano, Joe Biden, disse estar pronto para ressuscitar um acordo de 2015 entre o Irã e potências mundiais que o ex-presidente Donald Trump abandonou em 2018 antes de reativar sanções ao Irã.

Quando as sanções forem suspensas, "reverteremos imediatamente todas as medidas corretivas. Simples", disse o chanceler, Mohammad Javad Zarif, no Twitter.

Também na quinta-feira, Zarif tuitou que as "medidas corretivas" de seu país são uma reação a violações do acordo cometidas por EUA, Reino Unido, França e Alemanha. China e Rússia também são signatárias do pacto.

Mais cedo, Zarif disse em uma entrevista publicada em um site do governo que os EUA não somente descumpriram suas obrigações, mas mantêm a "pressão máxima fracassada" de Trump, apesar de afirmar que estão dispostos a retomar o acordo nuclear.

"Portanto, os europeus precisam notar que a pressão sobre o Irã não funciona, e que comentários inúteis tampouco servem para algo", disse Zarif, acrescentando: "Assim que virmos medidas dos Estados Unidos e da Europa para o cumprimento de suas obrigações, reagiremos imediatamente e retomaremos nossos compromissos."