Grécia quer pedir à Alemanha reparações por ocupação nazista

A Grécia pedirá a devolução de um empréstimo de ocupação feito para a Alemanha durante o regime nazista que nunca foi pago

Atenas - A presidente do parlamento da Grécia, Zoe Constandopulu, anunciou neste domingo que nos próximos dias será criada uma comissão parlamentar para exigir da Alemanha reparações de guerra pela ocupação nazista e indenizações às vítimas.

A Grécia pedirá a devolução de um empréstimo de ocupação feito para a Alemanha durante o regime nazista, no valor de 476 milhões de reichsmark (moeda alemã da época).

O empréstimo nunca foi devolvido à Grécia e seu valor atual seria de algo entre sete e 11 bilhões de euros.

'Temos a obrigação de atualizar nossas ações e projetos para reivindicar uma indenização pela atrocidade, a devolução do empréstimo de ocupação, a indenização das vítimas e a devolução dos tesouros arqueológicos roubados', disse Constandopulu em discurso durante um ato em memória das vítimas de Megalopolis.

Nesta cidade do Peloponeso, 212 pessoas foram assassinadas pelas forças de ocupação alemãs em 24 de fevereiro de 1944.

'Minha presença aqui representando o parlamento grego é para assinalar que o sacrifício de todos os que foram massacrados e executados durante a ocupação nazista é uma fonte de inspiração e compromisso', disse.

O ministro adjunto de Defesa, Kostas Isijos, que estava presente no ato, afirmou que as reparações de guerra são 'uma prioridade deste governo'.

Isijos disse que o executivo pedirá indenizações às vítimas 'reivindicando o empréstimo de ocupação' e a devolução 'de mais de 10 mil tesouros arqueológicos roubados'.

'Não é só um compromisso retórico, é uma obrigação moral e política da história de nosso povo', discursou Isijos.

Em sua primeira declaração como primeiro-ministro no parlamento, Alexis Tsipras anunciou que pedirá à Alemanha a devolução do empréstimo forçado que a Grécia concedeu à Alemanha nazista e que exigirá indenizações de guerra para as vítimas da ocupação.

O governo alemão considera que o tema das reparações de guerra à Grécia foi saldado em 1990, com o tratado com as potências aliadas que tornou possível a reunificação alemã.

O argumento foi repetido recentemente pelo ministro da Economia e vice-chanceler alemão, Sigmar Gabriel. A Grécia, no entanto, não está entre os signatários do tratado firmado entre as duas Alemanhas, a antiga União Soviética, França, Reino Unido e Estados Unidos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.