Governo boliviano quer maior rigor em vistorias a torcedores

O documento proíbe ainda que torcedores assistam às partidas sob efeito de álcool ou drogas ou vestindo "indumentária que impeça a verificação de identidade"

La Paz - O governo boliviano aprovou nesta quarta-feira um decreto para aumentar o rigor no controle da entrada de torcedores em estádios após a morte do jovem Kevin Beltrán, de 14 anos, durante o empate em 1 a 1 entre San José e Corinthians, no último dia 20, pela Taça Libertadores.

O decreto oficial tomou como referência nove "instrumentos internacionais" sobre segurança em eventos esportivos, assim como normas adotadas por outros países latino-americanos, de acordo com o ministro de Governo, Carlos Romero. A medida estabelece responsabilidades para as autoridades, as associações esportivas, as torcidas e os administradores dos estádios.

O documento proíbe ainda que torcedores assistam às partidas sob efeito de álcool ou drogas ou vestindo "indumentária que impeça a verificação de identidade", assim como a entrada nos locais dos jogos com bebidas alcoólicas, entorpecentes, armas, objetos cortantes ou explosivos e fogos de artifício.

O governo exige ainda a instalação de câmeras em todos os locais que recebam eventos esportivos e veta o uso de publicidade ou faixas com frases ofensivas contra o adversário ou que incitem a violência.

"Com esta norma, há a necessidade de transformar o futebol em uma verdadeira festa esportiva e não em um evento que nos deixe de luto", declarou Romero.

Sobre a morte de Kevin, o ministro destacou nesta quarta-feira que se trata de um crime ocorrido em território boliviano e que por isso deve ser resolvido pela justiça do país.

"Foi dito às autoridades do Brasil que de nossa parte é garantido um respeito estrito ao que manda a lei", afirmou.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.