A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Governo boliviano denuncia Evo Morales por suposta relação com menor

Ex-presidente está refugiado na Argentina desde o fim do ano passado, após renunciar em meio a uma revolta social

O Ministério da Justiça da Bolívia apresentou ao Ministério Público uma denúncia penal contra o ex-presidente Evo Morales por ter mantido um suposto relacionamento amoroso com uma menor, anunciou nesta quinta-feira o vice-ministro Guido Melgar.

"O Ministério da Justiça apresentou uma denúncia contra o cidadão Juan Evo Morales Ayma pelos crimes de estupro e tráfico de pessoas", disse Melgar em entrevista coletiva. "Daqui para frente, o Ministério Público e as outras instituições (de proteção da mulher e do menor) deverão materializar o processo penal correspondente."

Nos últimos dias, foram divulgadas pela imprensa local e nas redes sociais fotos de Morales (2006-2019) com uma jovem identificada como N.M., hoje com 19 anos. O ex-presidente esquerdista, 60, está refugiado na Argentina desde o fim do ano passado, após renunciar em meio a uma revolta social.

Segundo o vice-ministro Melgar, fotos extraídas do celular de uma parente da jovem a mostram em viagens do então governante pelo país. "O curioso é que, nessa época, ela era menor de idade. Como todos sabemos, para que uma menor viaje é necessária a autorização de seus pais."

Melgar anunciou na última segunda-feira que seu ministério investiga uma denúncia anônima envolvendo uma suposta relação amorosa do ex-presidente com outra menor, com quem ele teria tido um filho. O crime de estupro é punido pela lei boliviana com dois a seis anos de prisão, e o de tráfico de pessoas, com 10 a 15 anos.

A Morales, que é solteiro e tem dois filhos, também foi atribuído em 2016 um relacionamento com Gabriela Zapata, ex-gerente da empresa chinesa CAMC, à qual o Estado boliviano concedeu contratos milionários.

O governo transitório de direita da Bolívia lançou várias acusações contra Morales, entre elas as de rebelião e terrorismo, pela violência social ocorrida entre outubro e novembro de 2019. Nem Morales, nem seu Movimento ao Socialismo (MAS) comentaram as novas acusações.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também