Mundo

Fauna e flora raras da China estão prosperando na natureza, segundo órgão governamental

Nos últimos anos, a China tem promovido programas de conservação e, como resultado, o habitat e o ambiente de reprodução para flora e fauna raras estão melhorando constantemente

Floresta de mangue em Shenzhen: diversidade biológica melhora o valor dos sistemas ecológicos. (Lam Yik Fei / Stringer/Getty Images)

Floresta de mangue em Shenzhen: diversidade biológica melhora o valor dos sistemas ecológicos. (Lam Yik Fei / Stringer/Getty Images)

China2Brazil
China2Brazil

Agência

Publicado em 22 de maio de 2023 às 18h07.

O número de leopardos-das-neves, tigres-siberianos, antílopes-do-Tibete e outras espécies ameaçadas está aumentando na fauna e flora da China, assim como plantas em perigo de extinção, como cicas e orquídeas, graças ao forte empenho do país na conservação, afirmou hoje o órgão governamental responsável por pastagens, florestas, áreas úmidas e vida selvagem.

Atualmente, existem mais de 300 elefantes-asiáticos na natureza, seis grupos de gibão-de-Hainan com 37 membros e mais de 1.300 langures-de-cabeça-branca, segundo a Administração Nacional de Florestas e Pastagens, citando um estudo recente sobre mais de 300 espécies raras de flora e fauna.

Os tigres-siberianos agora percorrem desde as Montanhas Changbai, no norte do país, até a cordilheira de Khingan, no nordeste, e atingiram uma população de cerca de 60, afirmou o órgão.

Programa de conservação

Nos últimos anos, a China tem promovido programas de conservação in situ e ex situ e, como resultado, o habitat e o ambiente de reprodução para flora e fauna raras estão melhorando constantemente, disse uma pessoa da administração ao Yicai Global.

A distribuição dos pangolins está se expandindo, e as populações de leopardos-das-neves, macacos-de-nariz-arrebitado e cobras-cabeça-de-ferro-de-Mang Shan, entre outras, estão aumentando, acrescentou. Há 698 pandas-gigantes em cativeiro ao redor do mundo e cerca de 1.496 íbis-crestados foram criados em cativeiro.

O número de Magnólia sinicum, uma das espécies de magnólia mais ameaçadas do mundo, aumentou de seis quando foi descoberta para 15.000, segundo a administração. O pinheiro-de-Qiaojia, um pinheiro criticamente ameaçado nativo de uma única localidade no sudoeste da província de Yunnan, cresceu para 3.000 a partir de apenas 34, e agora existem mais de 4.000 abetos-de-Baishanzu, que crescem a uma altitude de 1.850 metros, em comparação com três quando foram descobertos.

Parques

A China reservou 10,3% de sua área terrestre para a construção de parques nacionais e jardins botânicos, disse ele. Cobrindo 1,1 milhão de quilômetros quadrados, será a maior escala de proteção ambiental do mundo, protegendo mais de 80% das espécies de animais e plantas selvagens ameaçadas do país e seus habitats.

Há espaço para 49 parques nacionais e os primeiros cinco já foram criados. Até 2025, cerca de 75% dos animais selvagens estarão sob proteção nacional a partir de 2025 e cerca de 80% das plantas selvagens, disse a pessoa, citando o 14º Plano Quinquenal, que vai de 2021 a 2025.

A diversidade biológica melhora o valor dos sistemas ecológicos. Por exemplo, o valor da biodiversidade na província de Yunnan em 2020 foi de 7,5 trilhões de yuans (US$ 1,1 trilhão), um aumento de 14,3% em relação a 2010, de acordo com a Academia Chinesa de Planejamento Ambiental. Isso impulsiona o turismo e a produtividade na região.


Tradução: Mei Zhen Li
Fonte: Gov.cn

Acompanhe tudo sobre:ChinaFlorestas

Mais de Mundo

Radiografia de cachorro está entre indícios de esquema de fraude em pensões na Argentina

Trump conversa com Zelensky e promete "negociação" e "fim da guerra" na Ucrânia

Legisladores democratas aumentam pressão para que Biden desista da reeleição

Entenda como seria o processo para substituir Joe Biden como candidato democrata

Mais na Exame